O Real Madrid se despediu de La Liga 2013/14 de maneira cabisbaixa. Os merengues tinham tudo para superar o Atlético de Madrid no topo da tabela após a derrota de seus vizinhos para o Levante. Porém, também tropeçaram nos dois jogos seguintes (inclusive um atrasado, que tinha a mais que seus concorrentes) e abandonaram a disputa pelo título. Fecharam sua participação no torneio sem grandes interesses, contra o Espanyol no Santiago Bernabéu. Venceram por 3 a 1, um gol de Gareth Bale e dois de Álvaro Morata, em jogo que serviu mais por suas circunstâncias do que pelo resultado.

Apesar de Carlo Ancelotti afirmar que Cristiano Ronaldo ia para o jogo, nem no banco o craque ficou. Se marcasse um gol, ficaria à frente de Luis Suárez na disputa pela Chuteira de Ouro de maior artilheiro da temporada europeia. Um prêmio que já será dele, pela média de gols superior. Melhor assim para os merengues, com o atacante evitando desgaste físico para a final da Liga dos Campeões. A decisão em Lisboa, aliás, foi o principal norte logo neste sábado.

Ancelotti já sabe que não contará com Xabi Alonso. O cão de guarda do meio-campo está suspenso do jogo contra o Atleti, pelo acúmulo de cartões amarelos. O italiano, então, tem que procurar um substituto para o jogador imprescindível em seu esquema. O duelo contra o Espanyol foi útil para testar Asier Illarramendi e Sami Khedira, observando qual dos dois está mais apto para substituir o experiente volante do Real.

Se tomar como base o jogo deste sábado, Ancelotti não terá muitas dúvidas em notar que Illarramendi é o nome ideal. Jogando exatamente na função de Xabi, na retaguarda de Khedira e Isco, o basco teve muito mais presença em campo. Distribuiu muito bem o jogo, projetou o time ao ataque com seus lançamentos e também protegeu a linha de defesa com segurança. Illarra foi o jogador que mais acertou passes e lançamentos na partida, assim como o que mais desarmou. Números que valorizam a atuação confiante que teve.

Illarra acertou 72 dos 78 passes que tentou no jogo
Illarra acertou 72 dos 78 passes que tentou no jogo

Já Khedira foi bem mais discreto. Aberto pelo lado direito, apoiado por Ángel Di María que jogou na ponta desta vez, o alemão parecia longe de sua melhor forma. Natural, para quem passou seis meses no estaleiro por conta de uma grave lesão no joelho. Participou do jogo com limitações, sem se apresentar muito e sem demonstrar tanta mobilidade. Acabou substituído logo aos 18 minutos do segundo tempo, por Luka Modric.

Com a notícia da volta de Khedira, muitos pensaram que ele pudesse substituir Xabi Alonso. De fato, o alemão é mais experiente para uma ocasião de tanta responsabilidade, assim como tem mais predicados defensivos, ajudando em um duelo no qual o Real tem sofrido em seus últimos encontros. Entretanto, a fase técnica de Illarramendi deve pesar. O garoto tem qualidades para segurar a responsabilidade. A questão maior é sobre a sua segurança para ajudar o Madrid a levar a tão sonhada Décima. Se tratar um jogo tão sério da mesma forma como levou esse “amistoso de luxo” contra o Espanyol, será bastante útil.