Vamos à luta, ó campeões

Hão de vibrar os nossos corações

Na tua glória, toda certeza

Que tu és grande, ó Portuguesa!

O hino da Portuguesa que se tornou mais conhecido é assinado por Roberto Leal, que morreu neste domingo aos 67 anos, em São Paulo. Nascido em Macedo de Cavaleiros como António Joaquim Fernandes, no norte de Portugal, veio ao Brasil com 11 anos, acompanhando a família. Foi por aqui que se estabeleceu e criou uma carreira de sucesso como cantor, com 45 anos na ativa.

Antes da carreira artística, trabalhou como sapateiro e vendedor. Como cantor, conseguiu dois álbuns de diamante, cinco de platina e 30 de ouro. Seu último álbum, “Arrebenta a Festa”, foi lançado em 2016. Em 2018, chegou a disputar as eleições para deputado estadual pelo PTB, mas não conseguiu se eleger.

“Bate o pé” e “Arrebita” são dois dos seus grandes sucessos, sempre com a estética que remete à música portuguesa. Em 1996, um dos seus clássicos, “O Vira”, foi alvo de uma sátira dos Mamonas Assassinas, grupo musical que fazia letras de humor, com “Vira Vira”. O cantor gostou da versão do grupo e disse que se sentiu homenageado.

Nos últimos três anos, o cantor lutava contra um câncer de pele, um melanoma maligno que evoluiu e atingiu o seu fígado, o que causou síndrome de insuficiência hepatorrenal. Leal era casado e deixa a esposa e três filhos.

Apaixonado pela Portuguesa, tinha uma relação próxima com o clube. Cresceu dentro do clube, frequentado pela comunidade portuguesa de São Paulo. Em 1983, compôs a música “Os Campeões” junto com Márcia Lúcia, sua parceira em composições, em homenagem à Portuguesa, e que está no seu álbum “Férias em Portugal”. A música agradou tanto que foi oficializada como hino do clube, substituindo o “Hino Rubro-Verde”, composto por Archimedes Messina e Carlos Leite Guerra.

O seu velório será aberto ao público nesta segunda-feira, 16, na Casa de Portugal (Avenida Liberdade, 602), das 7h às 14h. O enterro será realizado às 15h da mesma segunda-feira, no Cemitério Congonhas (Rua Ministro Álvaro de Sousa Lima, 101).