O meia Gonzalo “Pity” Martínez, do River Plate, foi eleito o Rei da América em 2018, premiação do jornal uruguaio Ovación para o melhor jogador do ano no continente. Campeão da Libertadores sendo um dos destaques do time, Pity Martínez é um dos nomes da conquista. Além dele, o técnico Marcelo Gallardo também foi eleito o melhor treinador da América.

LEIA TAMBÉM: Pratto: “Estou muito feliz porque cumpri o objetivo mais importante da minha carreira até agora”

Pity recebeu 130 votos entre os 320 jornalistas que votaram na premiação, 41% do total. O segundo colocado, Juan Quintero, também é do River Plate, com 15% dos votos. Franco Armani foi o terceiro colocado, com 12,5% dos votos. Depois do pódio dominado por jogadores do River vem Josef Martínez, destaque do Atlanta United na MLS e artilheiro da liga, com 7%. O uruguaio Nahitan Nández, do Boca Juniors, foi o quinto colocado.

Os argentinos quebraram um jejum sem o título de Rei da América. Desde Andrés D’Alessandro em 2010 um jogador da Argentina não ficava com o prêmio. E na época D’Alessandro atuava pelo Internacional, clube que defende até hoje – com uma breve passagem de uma temporada pelo River, emprestado, em 2016. O último argentino que atuava no país a ser eleito foi Juan Sebastián Verón, em 2009, quando conduziu o Estudiantes ao título da Libertadores.

Entre os técnicos, Gallardo levou o prêmio, ficando à frente de Ricardo Gareca, treinador do Peru, e Gerardo Martino, campeão da MLS pelo Atlanta United. A votação de Gallardo, porém, foi amplamente dominante: o técnico do River Plate recebeu 87% dos votos, recebendo 278 votos dos 320 votantes. Gareca recebeu 16 votos (5%), Martino ficou com 11 votos (3,5%).

Pity Martínez se despediu dos Millonarios após o Mundial de Clubes. Vai defender o Atlanta United, clube que era dirigido por Gerardo Martino.