O River Plate aproveitará os meses sem público para iniciar uma reforma ampla e, em partes, revolucionária no Monumental de Núñez. O estádio gigante muitas vezes foi motivo de gozação dos rivais pela falta de calor nas arquibancadas. Os millonarios, então, tentarão aproximar um pouco mais sua torcida do campo de jogo. A pista de atletismo será eliminada e, no futuro, a intenção é trazer a tribuna para mais perto do gramado – com ampliação e reestruturação.

Por ora, a principal reforma do River Plate será a mudança de todo o solo do campo. A promessa do clube é transformá-lo num “sistema híbrido de última geração” e “no melhor do país”. O sistema de grama natural será reforçado com uma tecnologia de injeção de fibras, que permitirá mais horas de uso. Além disso, o sistema permitirá um enraizamento maior da vegetação – com melhor qualidade para o jogo e menores gastos de manutenção.

Segundo os argentinos, “graças a esse novo sistema – similar ao implementado nos estádios de Barcelona, Real Madrid e Manchester United, entre muitos outros – o gramado será sustentável durante todo o ano, evitando os problemas que geram as transições de espécies que se faziam até o momento e tampouco terá os problemas que hoje padece a absorção de água nos dias de tempestade”. O sistema também é usado no Estádio Luzhniki, palco da final da Copa.

Para que a mudança seja feita, o River Plate rebaixará o campo de jogo até atingir o nível do solo determinado por um estudo geotécnico. Ao mesmo tempo, a pista de atletismo vai ser eliminada e um novo túnel será construído para os vestiários. Será apenas uma saída, em vez das duas existentes atualmente. Com isso, dentro do futuro próximo, os millonarios pretenderão também apresentar suas mudanças nas arquibancadas. Esta primeira etapa de obras está prevista para ser concluída no início de 2021.