Rivalidade, cobertura e gol no fim: Sporting e Benfica fazem dérbi eletrizante no feminino

Se no masculino a disputa é entre Porto e Benfica, no feminino o título está entre os rivais da capital, Spoorting e Benfica

A coluna de futebol feminino foi uma das metas no nosso projeto do Apoia.se. Graças a quem se tornou nosso apoiador, contribuindo mensalmente a partir de R$ 5, conseguimos sobreviver e, pouco a pouco, atingir mais metas. A cada novo apoio, nos tornamos um pouco mais fortes para seguir adiante. Venha com a gente, faça parte! Apoia.se/trivela

A liga portuguesa está pegando fogo tanto no futebol dos homens, quanto no das mulheres. Enquanto o Porto faz sombra ao Benfica e ameaça tomar de vez a liderança nesta rodada no masculino, no feminino, os dois times da capital, Sporting e Benfica, jogaram, neste domingo, um dérbi eletrizante, e, agora, estão empatados em número de pontos no topo da tabela.

[foo_related_posts]

Em Alcochete, o Sporting recebeu o Benfica mirando alcançar as Encarnadas, que são líderes, na classificação. E, para as Leoas, a missão dada foi cumprida. Com um gol no apagar das luzes, a equipe da casa venceu por 3 a 2, interrompeu a sequência invicta do adversário desde que a bola rolou na temporada e se reaproximou dos motivos para sonhar com o tricampeonato e o retorno ao protagonismo em Portugal.

Marcada por uma reviravolta que intensificou a briga pela taça, a partida teve seu primeiro gol aos 14 minutos. Darlene, ex-Rio Preto, recebeu pela esquerda e achou Julia Spetsmark livre entre três marcadoras. A sueca carregou pela ponta e arrematou na saída de Patrícia Morais.

Pouco mais de dez minutos depois, uma lambança de Dani Neuhaus, goleira campeã paulista e brasileira com o Santos, culminou em um pênalti a favor do Sporting. Capitã das Leoas, Nevena foi para a cobrança e bateu no canto direito da arqueira benfiquista, deixando tudo igual no clássico.

Embaladas com o gol de empate, as Leoas chegaram ao 2 a 1 aos 28 minutos, com um belíssimo gol de Raquel. O Benfica perdeu a bola perto da meia-lua e a brasileira não perdoou. Pegou bem na bola e, por cobertura, surpreendeu Dani Neuhaus. Sem chances para a arqueira do Benfica.

O jogo seguiu com alta intensidade e com a rivalidade exalando dentro de campo. Os rivais procuravam mais gols, mas só aos 19 minutos da segunda etapa saiu o quarto gol do duelo. Após tabelinha a alguns metros da grande área, Cloé Lacasse achou espaço e chutou forte de longe. Outro lindo gol em Alcochete, o de empate do Benfica: 2 a 2.

O confronto se encaminhava para um empate, resultado que tiraria os 100% de aproveitamento das Águias, mas, ao menos, as manteria imbatíveis no campeonato. Só que um lance de bola parada na reta final, daqueles que congelam a espinha de qualquer torcedor, mudou tudo. E aos 45 minutos do segundo tempo. Joana Marchão cobrou escanteio com perfeição na pequena área, onde estava Diana Silva para desviar para o fundo da rede.

Depois da partida, a técnica das Leoas, Susana Cova, destacou a vibração de todo o elenco com três pontos conquistados em cima de um adversário tão importante. “O ambiente nesta equipe é cada vez mais saudável e todos percebem que têm um papel fundamental. Aos poucos, vamos percebendo que as pessoas se sentem integradas, que querem estar aqui e contribuir. Tivemos jogadoras que ficaram de fora e, no final do jogo, vieram festejar conosco de corpo e alma”, disse.

A festa em comemoração à emocionante vitória das Leoas só não foi maior por duas razões. A primeira delas é que o Sporting masculino também jogou neste domingo, diante do Boavista, em Alvalade. Com horários conflitantes, já que as mulheres entraram em campo às 13h (de Brasília), e os homens, às 14h30 (também de Brasília), a torcida verde e branca não poderia estar em dois lugares ao mesmo tempo.

A segunda questão é o acesso ao Estádio Aurélio Pereira, que fica do outro lado do rio Tejo. O fato do transporte público ser restrito para lá foi uma das reclamações de torcedores do Sporting nas redes sociais antes do dérbi. Chegar no complexo onde se localiza, também, o centro de treinamento do clube, não é nada simples para quem depende de ônibus, metrô, trem. Quem não pôde comparecer ao jogo das mulheres e é assinante de televisão à cabo, conseguiu acompanhar o confronto pelo Canal 11.

A Liga BPI chegou à sua 15ª rodada com o título em aberto. Com os mesmos 42 pontos do Sporting, vice-líder, o Benfica soma números impressionantes. São 101 gols marcados em 2019/20 e apenas quatro sofridos – sendo três deles neste domingo. É isso mesmo que você leu. Cento e um gols em 15 jogos. Já o Sporting tem 69 tentos anotados até então e foi vazado dez vezes.

Portugal ainda está plantando sementes em relação ao seu futebol feminino. A liga ainda está longe de ser nivelada e a seleção já engatinha rumo a, quem sabe, uma participação na Copa do Mundo de 2023. Em 2017, por exemplo, foi a primeira vez que as portuguesas jogaram um torneio internacional: a Eurocopa.

Entre as quatro maiores potências do país, o Porto fica de fora quando o assunto é a modalidade. Formar uma equipe de mulheres seria significativo para o desenvolvimento da competição. Uma parceria com a Universidade do Porto, que tem excelentes jogadoras representando a instituição, para início de conversa, teria grandes chances de ser positiva para todos os lados.

A Uefa, inclusive, pode fazer com que o time do norte de Portugal tenha seu time feminino. No ano passado, a entidade que rege o futebol europeu sinalizou que poderia tornar isso um pré-requisito futuramente a equipes garantidas nas fases de grupo da Champions League e da Europa League no masculino.

Confira outros placares desta rodada da liga portuguesa feminina:

Albergaria 2×1 Atlético Ouriense
Estoril 4×2 Valadares Gaia
Cadima 0x1 A-dos-Francos
CF Benfica 0x6 Braga
Marítimo x Ovarense (adiado)

Coronavírus chega à Itália e adia partida valendo a vice-liderança da Serie A Femminile

Agora nomeado como COVID-19, o novo coronavírus chegou à Itália com uma força devastadora. A epidemia já matou sete pessoas no país, infectou cerca de 190 e obrigou  cidades a entrarem em quarentena. Por conta do risco de uma propagação ainda maior do vírus, as autoridades italianas optaram pela suspensão diversos eventos esportivos em solo italiano. Um dos jogos afetados foi o entre Milan e Fiorentina, pela Serie A Femminile.

A partida seria realizada no complexo esportivo Vismara, que se localiza nas redondezas de Milão. A cidade, porém, é uma das que estão com o alerta ligado por causa do coronavírus, já que fica na Lombardia, a região com maior incidência de casos da doença, seguida do Vêneto. Em suma, o norte da Itália vive o temor causado pelo novo coronavírus, e, por questões de segurança da saúde, Milan e Fiorentina jogarão em uma outra data, ainda a ser definida pela FIGC, a Federação Italiana de Futebol.

O duelo valia a vice-liderança da Serie A das mulheres. Enquanto a Juventus está isolada e, a cada rodada que passa, dispara ainda mais na ponta da tabela, o Rossonero e a Viola empatam com os mesmos 35 pontos – nove a menos que a Vecchia Signora. No momento, a Fiorentina é a segunda colocada. O Milan é o terceiro.

“É bola de ouro, é gente da gente”: uma homenagem aos pés de Marta na Sapucaí

Marta em desfile da Inocentes de Belford Roxo (Ricardo Moraes/Reuters)

A Trivela já falou sobre o desfile da Inocentes de Belford Roxo, na sexta-feira, pela divisão de acesso do Carnaval do Rio de Janeiro. Afinal, impossível ser indiferente ao que a escola levou à passarela da Sapucaí. Mas não é demais reforçar o quanto foi bonito e importante a homenagem à Rainha Marta. Um tributo aos pés do que ela representa para o esporte feminino no Brasil e mundialmente.

Com um samba-enredo dedicado à maior jogadora de todos os tempos, a Inocentes Belford Roxo levou a luta das mulheres dentro do futebol ao sambódromo, um local essencialmente democrático e de enorme visibilidade.

Fiquem com a letra desse samba-enredo maravilhoso:

Marta do Brasil – Chorar no começo para sorrir no fim
Autores: Cláudio Russo / André Diniz / Altamiro
Rainha sim
No talento, na luta e na vocação
Há tantas mulheres por aí assim
Crias da favela, filhas do sertão
E lá vem a menina Driblando a seca, em meio a poeira
Ganhando o mundo
Vencendo a sina
Lembrando de tudo para ser verdadeira
Em Dois Riachos ficou a saudade
À beira do rio se aventurou
Fintou a tristeza com habilidade
Com ar de nobre de cara pro gol
Da neve o lume da estrela
À dignidade de uma heroína
O maior exemplo de dona Tereza
Traduz sentimento em cada retina
Empoderamento, coisa de alma feminina
Eu sei que o preconceito vem de todo lado
Aquelas que usam batom no gramado
Carregam a pátria além da chuteira
Também sei
Que a sua luta é a nossa bandeira
Em cada segundo
A força que tem a mulher brasileira
É a Marta, é a deusa
A defesa aos seus pés
É bola de ouro, é gente da gente
O brilho inocente da camisa 10