Richarlison precisou de pouco tempo para mostrar como poderia vingar na Premier League. Adaptação não foi problema ao atacante, que começou sua trajetória no novo país de maneira arrasadora. O rendimento não se manteve no segundo turno e o jovem até perdeu espaço entre os titulares do Watford, mas ficava claro que havia ali um talento capaz de frutificar. Não à toa, a aposta se amplia uma temporada depois. Nesta terça, o Everton confirmou a contratação do ponta. Os Toffees pagarão €45 milhões para contar com o brasileiro, mais que o triplo do valor desembolsado pelos Hornets para tirá-lo do Fluminense há um ano. Vai para um dos clubes mais tradicionais do país e, mais importante, se reencontra com Marco Silva, o responsável por convencê-lo a se mudar à Inglaterra e por extrair seu melhor na liga. Oportunidade de ouro ao prodígio de 21 anos recém-completados.

Durante a última temporada, o Everton investiu pesado em seu elenco, mas não viu isso ser recompensado dentro de campo. A chegada do técnico Marco Silva, desejo dos Toffees ao longo dos últimos meses, serve para referendar um novo momento em Goodison Park. E a contratação de Richarlison se torna o primeiro símbolo desta era, na qual o português precisará concentrar o seu trabalho primordialmente naqueles que não vinham rendendo tanto ao grupo. A compra do brasileiro, de qualquer forma, indica uma confiança em seu potencial e uma esperança que possa continuar atuando em alto nível na Premier League.

Até novembro, Richarlison era uma das sensações do futebol inglês, em sua afirmação no Watford. Anotou um gol logo na segunda rodada e, titular absoluto com Marco Silva, deslanchou a partir de setembro. Em uma sequência de oito partidas, acumulou quatro gols e quatro assistências, o suficiente para manter os Hornets na briga pelas competições europeias. No entanto, o treinador lusitano balançou com a proposta do Everton já naquele momento, o aproveitamento do clube despencou e sua demissão se tornou natural. Sob as ordens de Javi Gracia os números do camisa 11 também pioraram e o lugar no meio da tabela foi mais do que suficiente aos londrinos. Ainda assim, o sucesso inicial já tinha deixado uma boa impressão sobre o jovem, com o Everton aceitando bancar o negócio.

Pode-se questionar o montante pago por Richarlison. Comprado em 2017 por €12,4 milhões, o atacante sai por uma quantia significativamente maior, que não acompanha o seu valor de mercado. Contudo, considerando a realidade do futebol inglês e o poderio financeiro de seus clubes, a alta pedida do Watford se torna mais compreensível. É a segunda contratação mais cara já feita pelo Everton, abaixo apenas de Gylfi Sigurdsson, e o sétimo brasileiro mais caro da história em valores absolutos, igualado a Fabinho na lista.

O principal concorrente de Richarlison pela posição na ponta esquerda é Yannick Bolasie, que retornou de uma séria lesão de joelho na temporada passada e não fez um bom segundo turno na Premier League. Voltando de empréstimo, após passar um bom semestre com o RB Leipzig, Ademola Lookman é outra alternativa para o setor. O brasileiro, ainda assim, se destaca por fazer diferentes funções e poder atuar em outras posições na linha de ataque. É um acréscimo importante também por isso, voluntarioso e capaz de ajudar bastante sem a bola.

“Eu quero ter muito sucesso com o Everton. Acho que vai ser importante para mim estar aqui, trabalhando novamente com Marco Silva. Eu aprenderei mais, porque ainda estou evoluindo como jogador e pretendo crescer aqui. O Everton confiou em mim e eu quero honrar essa camisa, demonstrando em campo por que eu vim. Quero marcar mais gols, dar mais assistências e ajudar da forma como for possível. Todo mundo conhece o Everton. É um clube enorme, um dos maiores da Inglaterra. Estou muito feliz de estar aqui”, apontou, em sua primeira entrevista.

Marco Silva também elogiou o acerto, ao site oficial do clube: “Ele é um bom jogador, que tornará nosso time mais competitivo. É um atleta rápido, forte, muito bom tecnicamente e que pode jogar em diferentes posições. Pode marcar muitos gols. Os torcedores do Everton verão um futebolista que estará 100% comprometido em ajudar nosso time em todos os momentos”.

Richarlison não deve ter muitos problemas para se tornar o maior jogador brasileiro da história do Everton. É o quinto de uma lista que inclui Rodrigo Beckham, Anderson Silva, Jô e Felipe Mattioni. Destes, o centroavante foi o único que teve uma sequência minimamente digna. Emprestado pelo Manchester City entre 2009 e 2010, anotou sete gols em 36 partidas, mas não deixou saudades. Já o novato terá um desafio bem maior em Goodison Park. Precisará reafirmar o seu valor e fugir das oscilações que o atrapalharam ao longo dos últimos meses. Se conseguir manter a sequência, pode não apenas justificar a aposta, como também virar uma referência no time e encaminhar sua convocação à seleção brasileira. Potencial para tanto ele já demonstrou possuir.


Os comentários estão desativados.