Depois de se afastar da presidência da CBF na semana passada, Ricardo Teixeira anunciou nesta segunda-feira sua renúncia do cargo em carta lida pelo presidente interino José Maria Marín.

Na carta, Teixeira afirma que deixa a CBF com a sensação de dever cumprido, cuidará da saúde e se diz disposto a continuar “colaborando com o futebol brasileiro”.

Em trecho da carta, Teixeira afirma: “Presidir paixões não é uma tarefa fácil. Futebol em nossos pais e associado a duas imagens: Talento e desorganização. Quando ganhamos, exaltam o talento. Quando perdemos, a desorganização. Fiz o que estava ao meu alcance. Renunciei à saúde. Fui criticado nas derrotas e subvalorizado nas vitórias.”

Com a saída de Teixeira, José Maria Marin assume a presidência da entidade, assim como o Comitê Organizador Local para a Copa do Mundo de 2014 (COL). Em entrevista coletiva, Marin já sinalizou que não haverá mudanças na CBF, uma vez que é uma “continuidade de uma gestão respeitada em todo o mundo”.