Review da temporada

A temporada 2011 da Major League Soccer acabou com o título do Los Angeles Galaxy. A partir dessa semana, a coluna trás um review do que foi o ano as MLS. E em homenagem ao Galaxy, o review começa com os times da conferência oeste:

Chivas USA
Colocação final: 15º colocado na temporada regular (36 pontos)
Técnico: Robin Fraser
Maior vitória: 3×0 New England (semana 7), 3×0 Houston (semana 19) e 3×0 Toronto (semana 27)
Maior derrota: 3×0 DC United (semana 25)
Competição continental: Não disputou
Principal jogador: Nick LaBrocca
Decepção: Mariano Trujillo
Artilheiro: Nick LaBrocca e Justin Braun – 8
Líder em assistências: Ante Jazic – 7

O clube foi o penúltimo colocado na temporada e mudou muito na primeira temporada de Robin Fraser, ex-assistente de Jason Kreis no Real Salt Lake, como comandante. A chegada de Nick LaBrocca também foi fundamental para que os Rojiblancos entrassem na luta por uma vaga nos play-offs desse ano.
Mas apesar da grande melhora nesse ano, o Chivas USA caiu muito no final da temporada regular e por isso não conseguiu chegar aos play-offs. Para 2012 fica a lição de não vacilar no momento de definição.

Colorado Rapids
Colocação final: 6º colocado na temporada regular (49 pontos), eliminado nas quartas-de-final dos play-offs pelo Sporting Kansas City.
Técnico: Gary Smith
Maior vitória: 4×1 DC United (semana 3)
Maior derrota: 4×1 Columbus (semana 15)
Competição continental: Eliminado na fase de grupos da Concacaf Champions League 2011/12.
Principal jogador: Jeff Larentowicz
Decepção: Mac Kandji
Artilheiro: Jeff Larentowicz – 7
Líder em assistências: Omar Cummings – 6

O campeão da MLS em 2010 chegou com moral para a temporada de 2011, mas devido às lesões de Conor Casey,a segunda o deixou de fora de grande parte do ano, o clube perdeu força. Mesmo assim, o Rapids conseguiu chegar aos play-offs.
Omar Cummings, companheiro de Casey, conseguiu resolver na fase preliminar, mas o Sporting Kansas City foi muito para o Rapids e ali acabou o sonho do bicampeonato.

FC Dallas
Colocação final: 4º colocado na temporada regular (52 pontos), eliminado na fase preliminar dos play-offs pelo New York Red Bulls.
Técnico: Schellas Hyndman
Maior vitória: 4×0 Portland (semana 15)
Maior derrota: 4×1 Kansas City (semana 13)
Competição continental: Eliminado na fase de grupos da Concacaf Champions League 2011/12
Principal jogador: Brek Shea
Decepção:  Ricardo Villar
Artilheiro: Brek Shea – 11
Líder em assistências: Andrew Jacobson – 5

A temporada do Dallas foi comprometida logo no início da temporada. David Ferreira, MVP da liga em 2010 e responsável por levar o time à final da MLS Cup no ano passado, sofreu uma lesão grave logo na 6ª semana e desfalcou os Hoops pelo resto da temporada, o que deixou uma nova caminhada à final extremamente improvável.
Como ponto positivo, o Dallas viu o crescimento de Brek Shea, que assumiu a frente do time depois da lesão de Ferreira. O meia de 21 anos teve uma temporada incrível, recebeu várias convocações para a seleção norte-americana e é cotado para ser o jogador que liderará a seleção nos próximos anos.

Los Angeles Galaxy
Colocação final: 1º colocado na temporada regular (67 pontos), campeão da MLS Cup.
Técnico: Bruce Arena
Maior vitória: 4×0 Vancouver (semana 20)
Maior derrota: 4×1 Salt Lake (semana 2)
Competição continental: Eliminado na fase de grupos da Concacaf Champions League 2010/11 e avançou para as quartas-de-final da Concacaf Champions League 2011/12
Principal jogador: David Beckham
Decepção: Adam Cristman
Artilheiro: Landon Donovan – 12
Líder em assistências: David Beckham – 15

Com provavelmente o melhor time da história da MLS (e mais caro também), o Galaxy enfim conquistou a MLS Cup na era David Beckham. O inglês fez uma ótima temporada, o que rendeu a ele o prêmio de “Retorno do ano”pela bom desempenho depois de ficar fora de quase todo o ano da MLS em 2010.
A chegada de Robbie Keane para ajudar Landon Donovan e Beckham foi fundamental. Os três designados participaram de todos os gols do Galaxy nos play-offs e para completar bem a temporada, a jogada do tento dos californianos na final passou pelo pé de todos eles.

Portland Timbers
Colocação final: 12º colocado na temporada regular (42 pontos).
Técnico: John Spencer
Maior vitória: 3×0 Los Angeles (semana 21) e 3×0 New England (semana 26)
Maior derrota: 4×0 Dallas (semana 15)
Competição continental: Nenhuma
Principal jogador: Jack Jewsbury
Decepção: Eddie Johnson
Artilheiro: Kenny Cooper – 8
Líder em assistências: Jack Jewsbury – 8

Diferentemente do Vancouver Whitecaps, o Portland Timbers fez um bom primeiro ano na liga e lutou até o fim para chegar aos play-offs, mas ficou de fora por alguns pontos. A torcida abraçou o time e fez o Jeld-Wen virar um caldeirão que dava muita força para a equipe, que venceu nove de suas 17 partidas no estado de Oregon.
A troca que o clube fez para ter Jack Jewsbury em seu elenco se provou extremamente válida. Jewsbury recebeu a braçadeira de capitão para o primeiro ano do Timbers na MLS e não desapontou. Além do seu poder de liderança, o meia contribuiu com 7 gols e 8 assistências.

Real Salt Lake
Colocação final: 3º colocado na temporada regular (53 pontos), eliminado na semifinal dos play-offs pelo Los Angeles Galaxy.
Técnico: Jason Kreis
Maior vitória: 4×0 San Jose(semana 19)
Maior derrota: 4×1 DC United (semana 27)
Competição continental: Vice-campeão da Concacaf Champions League 2010/11
Principal jogador: Fabian Espindola
Decepção: Andy Williams
Artilheiro: Alvaro Saborío – 11
Líder em assistências: Kyle Beckerman – 9

O Real Salt Lake começou muito bem a temporada, chegou à final da Concacaf Champions League e conquistou bons pontos nos jogos iniciais da MLS. Mas depois da perda da CCL em casa, os comandados de Jason Kreis tiveram uma queda de desempenho, mas nada que preocupasse em relação à vaga nos play-offs, que para muitos estava garantida.
Nos play-offs, o  time reencontrou o ótimo futebol que o fez o melhor time da liga e fez uma partida impecável contra o Seattle antes de sofrer fora de casa para se classificar para as semifinais. Mas a falta de físico da dupla de zaga Nat Borchers e Jamison Olave fez com que o jogo contra o Galaxy ficasse fora do alcance do time de Utah.

San Jose Earthquakes
Colocação final: 14º colocado na temporada regular (38 pontos)
Técnico: Frank Yallop
Maior vitória: 3×0 Columbus (semana 9)
Maior derrota: 4×0 Salt Lake (semana 19)
Competição continental: Nenhuma
Principal jogador: Chris Wondolowski
Decepção: Roger Johnson
Artilheiro: Chris Wondolowski – 16
Líder em assistências: Steven Beitashour – 7

Depois de surpreender o New York Red Bulls na Big Apple nos play-offs de 2010, o San Jose fez uma temporada bastante quieta. Com Wondolowski irregular e servindo a seleção, o ataque foi bem prejudicado e os outros setores não conseguiram fazer com que essa diferença não aparecesse no resultado final.
A temporada dos Quakes foi tão quieta que seu destaque é o gol que o goleiro novato David Bingham fez de sua própria área em um amistoso contra o West Bromwich. Detalhe: Era a primeira partida de Bingham como profissional.

Seattle Sounders
Colocação final: 2º colocado na temporada regular (63 pontos), eliminado pelo Real Salt Lake nas quartas-de-final dos play-offs.
Técnico: Sigi Schmid
Maior vitória: 6×2 Columbus (semana 24)
Maior derrota: 3×0 Salt Lake (play-offs)
Competição continental: Eliminado na fase de grupos da Concacaf Champions League 2010/11 e classificado para as quartas-de-final da CCL 2011/12.
Principal jogador: Fredy Montero
Decepção: Leo Gonzalez
Artilheiro: Fredy Montero – 12
Líder em assistências: Mauro Rosales – 13

Em seu terceiro ano na MLS, o Seattle Sounders enfim fez seu primeiro gol nos play-offs em um jogo dentro de casa, mas mesmo assim o clube ficou a um tento de conseguir forçar a prorrogação contra o Real Salt Lake e tentar avançar para a semifinal.
O ano do Sounders foi marcado por dois momentos: A terceira conquista seguida da U.S. Open Cup, a “Copa do Brasil” dos norte-americanos e a aposentadoria de Kasey Keller, um dos jogadores mais fundamentais para o crescimento do esporte nos EUA.

Vancouver Whitecaps
Colocação final:
18º colocado na temporada regular (28 pontos).
Técnico: Teitur Thordason (demitido na semana 11) e Tom Soehn.
Maior vitória: 3×0 Salt Lake (semana 28)
Maior derrota: 4×0 Los Angeles (semana 20)
Competição continental: Nenhuma
Principal jogador: Camilo
Decepção: Jay DeMerit
Artilheiro: Camilo – 12
Líder em assistências: David Chiumiento – 9

Em sua primeira temporada na MLS, o Vancouver Whitecaps cometeu um erro bastante primário. Logo na 11ª semana os Caps demitiram o islandês Teitur Thordason, que era o técnico da equipe na USSF-Division 2, sem dar chance para que ele fizesse um trabalho decente. A maioria dos clubes que entrou na MLS não teve muito sucesso em seu primeiro ano na liga.
Tom Soehn também não teve muito sucesso depois que entrou como técnico. E apesar de uma ótima vitória frente ao RSL na semana 28, o clube não mostrou muito a ponto de imaginar que o clube pudesse fazer algo a mais que figuração no campeonato.