O Borussia Dortmund venceu a corrida por Erling Haaland e, por apenas € 20 milhões, anunciou no fim de 2019 a contratação de uma das mais empolgantes promessas do futebol mundial no momento. Uma adição importante ao jogo ofensivo já interessante dos aurinegros, o norueguês é, para Marco Reus, um tipo de jogador que o clube não tinha desde a saída do goleador Robert Lewandowski.

Em entrevista à Sky Deutschland, Reus exaltou a expansão do leque de possibilidades de jogo do Dortmund com a chegada de Haaland, preenchendo uma lacuna que teria sido deixada desde a partida de Lewandowski ao Bayern, em 2014.

“Acho que não temos um jogador desse tipo desde o Lewy (Lewandowski). Ele nos dá a oportunidade de sermos mais flexíveis e capazes de reagir a diferentes placares”, comemorou.

Paco Alcácer, centroavante que teve começo fulminante no Dortmund, terminando sua primeira temporada com 18 gols em 26 jogos na Bundesliga, passou a sofrer com lesões na atual temporada, após ser comprado em definitivo. A busca por Haaland, além de um investimento para o futuro, é ainda uma indicação de que a confiança do clube no espanhol diminuiu. Reus, é claro, não reiterou diretamente isso, mas reconheceu os problemas físicos do companheiro.

“O Paco (Alcácer) estourou no começo, e então ficou machucado por um longo tempo. Então, o treinador decidiu buscar uma alternativa. Como eu disse, o Haaland nos dá muitas oportunidades de como jogar, mas, no fim, o treinador precisa decidir quem será utilizado.”

De olho na segunda metade da temporada, que para os alemães começa no próximo dia 17, depois da pausa de inverno, Reus falou da importância do período de adaptação que Haaland tem tido na intertemporada dos aurinegros.

“Ele tem uma mente muito aberta, e é importante que ele conheça todo mundo antes. Uma intertemporada como essa é ideal. Agora, é ficar em forma, chegar da maneira certa. Vai levar tempo, e daremos isso a ele. (…) Temos que combinar com ele e com seus pontos fortes, mas isso vai acontecer com o tempo”, projetou.

Reus reforçou a vantagem de se ter uma equipe flexível, com diversas possibilidades de estilo de jogo ofensivo, e, em meio ao momento de recuperação do bom futebol da equipe sob o comando de Lucien Favre, pareceu otimista para o ano que começa: “Temos um novo atacante muito bom e com novas opções, então estamos bem”.

Apesar de ter apenas 19 anos, Haaland chega com grande moral ao Borussia Dortmund e muito possivelmente para ser titular. No radar de Manchester United, Juventus e Barcelona, entre outros, teve poder de barganha enorme para escolher seu destino e em Raiola o representante ideal para ao menos exigir uma boa dose de minutos em campo.

Depois de ficar famoso pelos nove gols que fez em um só jogo na Copa do Mundo Sub-20 do ano passado, Haaland deu sequência com uma primeira metade de temporada assombrosa pelo RB Salzburg. Em 16 jogos por Campeonato Austríaco e Copa da Áustria, fez 20 gols, mas impressionou ainda mais pelos oito gols nas cinco primeiras rodadas da Champions League.