Walter provocou. Quando ainda era considerado dúvida para o primeiro jogo entre Goiás e Flamengo, o robusto atacante afirmou não somente que estaria em campo. “Vou deitar e rolar”, emendou. O suficiente para provocar a ira dos rubro-negros. Porém, o artilheiro sequer pôde ajudar os goianos nas duas partidas das semifinais da Copa do Brasil. E teve que aguentar a gozação dos adversários.

Depois do apito final, os flamenguistas deitaram e rolaram no gramado do Maracanã. Literalmente. A festa escrachada contou com a participação de alguns dos líderes da equipe, como Elias, Léo Moura e André Santos. “Não deitou e rolou. Mostramos quem é Flamengo”, disparou o Brocador Hernane. As provocações estão mesmo em falta no futebol e ajudam a dar uma cor ao que acontece em campo. Quem as faz, só precisa aguentar as consequências depois – e a resposta do Fla não poderia ser melhor.