Reinier virou razão de um grande entrave envolvendo o Flamengo e a CBF. O garoto estava convocado para o Mundial Sub-17, mas os rubro-negros bateram o pé. Contavam com o meia para a reta final da temporada e, por isso, exerceram o seu direito de não liberar o atleta. A CBF não gostou e até declarou que o clube não cumpriu o “acordo de cavalheiros” que existia ao redor do prodígio, mas não teve o que fazer. Durante as últimas horas, o assunto foi exaustivamente abordado pela mídia. No entanto, liberado para atuar, Reinier provou que tamanha discussão não foi injustificada. Tornou-se mais um jogador a se revestir com a predestinação que ronda o Fla neste Brasileirão e definiu, nos minutos finais, a suada virada por 2 a 1 sobre o Fortaleza dentro do Castelão. Com ele, os rubro-negros venceram duas vezes.

Reinier começou como titular na equipe de Jorge Jesus, em escalação do Flamengo que contou com a volta de Gabigol e Rodrigo Caio, mas precisou se valer de vários reservas e garotos por conta dos desfalques. Havia um apoio massivo aos rubro-negros no Castelão. Porém, os cariocas também precisaram lidar com uma barulhenta torcida do Fortaleza, que fez até mosaico para provocar os “mistos” do outro lado. O Cristo Redentor apareceu com chapéu de cangaceiro, antes de trocar a camisa rubro-negra pela tricolor.

Dentro de campo, o Flamengo tinha mais posse de bola, mas não conseguia estabelecer seu domínio. O Fortaleza se defendia muito bem e concedia poucos espaços aos rubro-negros, além de buscar o jogo quando recuperava a posse. Reinier começou a aparecer aos seis minutos. Tentou de cabeça e mandou para fora, no que seria um prenúncio de sua noite. De qualquer maneira, o primeiro tempo varia os goleiros prevalecerem. Diego Alves voltou a brilhar, voando para espalmar uma cobrança de falta de Nenê Bonilha. Do outro lado, Felipe Alves se esticou para evitar o tento de Vitinho em cruzamento venenoso.

Além de pegar um adversário que equilibrava a partida, o Flamengo lidava com os problemas de lesão. Lucas Silva precisou ser substituído logo aos 15 minutos, dando lugar a Piris da Motta. A partida truncada não clareava e os rubro-negros não faziam uma pressão tão efetiva sem a bola. Os cariocas só teriam uma chance maior nos minutos anteriores ao intervalo. De novo para Reinier ficar no quase. Quando o garoto parecia pronto a vencer Felipe Alves, Paulão fez um corte providencial na pequena área. Nem era a melhor partida do novato, que aparecia pontualmente e rodou em diferentes posições do setor ofensivo sem se encaixar.

Jorge Jesus voltou ao segundo tempo sem Gerson, substituído por Vitor Gabriel. O Flamengo precisaria mostrar sua força a partir dos garotos. E, sem conseguir envolver a defesa adversária, a equipe visitante ainda teve que lidar com o desafio de sair atrás no placar. Aos 12 minutos, o árbitro anotou um pênalti que deixa margem à dúvida, por um toque de mão de Pablo Marí no limite da grande área. Mesmo sem que as imagens fossem tão conclusivas, a infração foi confirmada após revisão. Bruno Melo cobrou com maestria e venceu Diego Alves.

O Flamengo tinha dificuldades para criar chances e dependia basicamente do jogo aéreo. Vitinho outra vez tentou aparecer, mas sem a precisão vista contra o Atlético Mineiro. E o gol de empate também saiu graças a um pênalti discutível, aos 37. A mão de Quintero estava erguida após a cabeçada de Rodrigo Caio, mas o tricolor estava de costas na disputa com o rubro-negro. O árbitro assinalou o lance depois de analisar no vídeo. Gabigol bateu no meio e superou Felipe Alves. Chegou aos 19 tentos, igualando a marca de Adriano no Brasileirão de 2009.

Restavam pouco mais de dez minutos a um jogo indefinido. E o Fortaleza ficou prestes a marcar o segundo. Oswaldo fez grande jogada e tocou para Edinho, mas Renê realizou um corte que valeu tanto quanto um gol. Graças a isso, o Flamengo viraria pouco depois. A justificação de Reinier aconteceu aos 43. Após cobrança de lateral pela esquerda, num lance em que pintaram duas bolas em campo, Vitor Gabriel ajeitou e “o motivo da briga com a CBF” apareceu para concluir. Reinier acertou uma cabeçada fatal, no ângulo de Felipe Alves, que não teve chance de defesa. Mais uma noite em que, mesmo com seus problemas, o final deu certo ao Fla. A garotada cumpriu a missão.

Reinier ainda tem muito a evoluir, apesar das mostras de talento. Mais importante, faz acontecer e se coloca como alternativa mesmo dentro de um elenco tão estrelado. À sua carreira, continuar ajudando o Flamengo no Brasileirão parece bem mais válido que figurar no Mundial Sub-17 – apesar da oportunidade de ser campeão com a Seleção dentro de casa. Atingir tal relevância num candidato ao título nacional é algo maior do que integrar a Canarinho numa competição de base, e os rubro-negros têm sua razão ao insistir. Já colheram os frutos.

Vitória a vitória, o Flamengo dá mais um passo para se aproximar da conquista do Brasileirão. A equipe chega aos 61 pontos, com quatro vitórias consecutivas e uma série invicta que chega às 16 partidas – contando também a Libertadores. A vantagem sobre o Palmeiras segue nos oito pontos. Já o Fortaleza lamenta os tentos que não arrancou e que seriam importantes em sua luta contra o rebaixamento. O Leão do Pici tem 28 pontos, a dois do Z-4.

Classificações Sofascore Resultados