A transformação de 2019 em um ano mágico para o Flamengo passa, obrigatoriamente, por 31 de agosto. A data poderia significar uma tragédia aos rubro-negros, com o reencontro ante o Emelec pelas oitavas da Libertadores. A classificação nos pênaltis lavou a alma da torcida e iniciou a ascensão da equipe de Jorge Jesus. E aquela ocasião também marcou a estreia de Reinier, ao substituir Gabigol durante o segundo tempo. O novato não brilhou naquela noite, mas não demorou a cair nas graças da torcida. Nem cinco meses depois, o xodó da base já se despede da massa. Um dia depois de completar 18 anos, o meia foi anunciado pelo Real Madrid – e, em partes, também oferece suas perspectivas a um 2020 abastado ao Fla.

Estava claro que Reinier seria uma cartada das potências europeias logo cedo. O impacto imediato do prodígio no profissional do Flamengo, unido com sua própria reputação nas seleções de base, atraiu o interesse de diversos clubes. O Paris Saint-Germain até parecia um passo à frente nas conversas, mas o Real Madrid tomou a dianteira e fechou o negócio. Apenas aguardava-se a oficialização e ela aconteceu nesta segunda, logo após o aniversário, quando poderá se juntar ao elenco de Zinedine Zidane e ser inscrito no Campeonato Espanhol. Os merengues pagaram €30 milhões pela transação.

Ao Flamengo, até poderia haver o interesse de segurar Reinier e esperar o desenvolvimento do garoto para que ele rendesse mais no time – bem como se valorizasse mais. Poucos jogos foram suficientes para que o novato mostrasse o seu talento, com muita inteligência na movimentação e qualidade na definição das jogadas. Mesmo caindo de para-quedas, ele já teve uma participação notável no título do Brasileirão e anotou seis gols na campanha, além de servir duas assistências. Dono de um bom porte físico e maturidade para usar seus predicados, parecia pronto a crescer em pouco tempo. Todavia, o Fla também aproveitou a vitrine proporcionada pelos títulos recentes. Os €30 milhões já são uma quantia razoável, sobretudo a um atleta que não disputou mais que 15 partidas pelo time.

A venda de Reinier, além do mais, beneficia o planejamento do Flamengo para 2020. A partir da transferência é que o clube pôde agir de maneira mais agressiva no mercado de transferências. Até então, os rubro-negros tinham feito negócios de ocasião com Gustavo Henrique e Pedro Rocha, que não significavam tantos custos adicionais. A compra de Michael e o provável empréstimo de Pedro são consequência do dinheiro oferecido pelo Real Madrid, enquanto se facilita a própria permanência de Gabigol. Não à toa, o Fla tratou de anunciar Michael logo após a confirmação do adeus de Reinier. Uma resposta natural, para indicar como a diretoria atua para deixar o elenco ainda mais completo – leia mais abaixo.

O Real Madrid, por outro lado, reafirma pelo terceiro ano consecutivo sua propensão a buscar as principais revelações do futebol brasileiro. Foi assim com Vinícius Júnior, o que ajudou na reaproximação com os dirigentes rubro-negros. Repetiu-se com Rodrygo, ao deixar o Santos na temporada passada. Reinier completa a trinca de prodígios. E se o plano é o mesmo que se seguiu com os compatriotas, passando inicialmente pelo Castilla, as experiências recentes mostram como as portas do primeiro time tendem a se abrir rapidamente a Reinier.

Vinícius e Rodrygo podem auxiliar bastante Reinier neste começo pelo Real Madrid. A adaptação do novato tende a ser facilitada pela companhia dos outros jovens brasileiros – assim como de Marcelo, Casemiro e Éder Militão. Há até o risco de uma comparação sistemática com os outros garotos, o que nem sempre contribui. No entanto, Reinier compete ainda menos com eles por posição. Por suas características, é um jogador diferente daquilo que Zidane possui à sua disposição, mais incisivo que os demais meias centrais do elenco. Pode permitir algumas variações táticas, ante sua facilidade de se encaixar mais à frente.

E, indo além dos brasileiros, Reinier encorpa um projeto de renovação do Real Madrid para os próximos anos. Tomar o lugar dos medalhões não é algo simples, mas os merengues têm contratado promessas aos montes. Nem todos vão vingar e muitos precisam superar as cobranças no Bernabéu. Mas, entre os jovens que concluem sua formação no Castilla e aqueles trazidos como apostas de outros cantos do mundo, os madridistas exibem uma agressividade acima de seu comum no mercado a esta faixa etária. Hoje, o Bernabéu se coloca como um dos destinos mais atrativos aos adolescentes, quando a concorrência natural dentro do elenco  e o alto número de medalhões poderia dizer o contrário.

O elenco atual possui nove jogadores com 24 anos ou menos: Federico Valverde, Ferland Mendy, Álvaro Odriozola, Brahim Díaz, Marco Asensio e Luka Jovic, além dos brasileiros Rodrygo, Militão e Vinícius Júnior. Além disso, são 13 atletas com 22 anos ou menos emprestados a outros times. Alguns deles estão muito bem avaliados a uma volta em breve, como Takefusa Kubo, Martin Odegaard e Achraf Hakimi. As contratações galácticas andam menos frequentes justamente porque Florentino Pérez prefere terminar de lapidar os seus próprios craques. É ver qual a margem de sucesso da estratégia.

Reinier se integrará ao Real Madrid apenas em fevereiro, quando se encerrar a campanha da seleção brasileira no Torneio Pré-Olímpico disputado na Colômbia. Antes da transferência ser oficializada, ao ser perguntado sobre a viagem recente que fez à Espanha, o meia não escondeu o sorriso ao falar sobre o futuro. E a própria torcida merengue se empolga, ao ver os lances do reforço e ao saber a disputa que o clube venceu nos bastidores. Pode levar tempo para que o adolescente cause impacto. Entretanto, os exemplos recentes de Vinícius Júnior e Rodrygo servem de motivação a mais para que a promessa busque seu espaço.

Flamengo aposta na explosão de Michael e também em seu desenvolvimento

Se Reinier saiu por uma porta, Michael entrou por outra e foi finalmente confirmado pelo Flamengo. O excelente desempenho no Campeonato Brasileiro transformou o atacante do Goiás em um dos nomes mais requisitados do mercado rumo a 2020. Diversos clubes se interessaram na contratação da revelação. No entanto, o negócio fechado há duas semanas e oficializado nesta segunda acaba por referendar o poderio do Fla. Por €7,5 milhões, os rubro-negros adquiriram 80% dos direitos, com vínculo firmado até 2024.

VEJA TAMBÉM: Refletir sobre dinheiro faz parte, mas Michael é mais furacão que projeto

O parco tempo atuando em alto nível poderia ser uma contraindicação a Michael. O atacante não se aprimorou em categorias de base e disputava competições amadoras, até deslanchar no Goianésia, aos 20 anos de idade. A falta de formação específica, porém, nem de longe significa o fracasso de um atleta – e o exemplo de Bruno Henrique é o melhor possível. Depois de despontar no interior, o ponta vinha em crescente com o Goiás desde o acesso na Série B. E a qualidade apresentada no último Brasileirão serviu de referência suficiente ao negócio do Fla – que presenciou boas atuações do esmeraldino contra sua equipe em ambos os turnos, aliás.

A ascensão meteórica indica como Michael pode seguir crescendo. Aos 23 anos, o atacante possui uma margem de evolução e seu próprio rendimento no Brasileiro melhorou com o passar das rodadas. Há um talento bruto no jovem, que o permitiu se sobressair individualmente e resolver muitos jogos ao Goiás. Sua chegada a um time como o Flamengo e o próprio trabalho com Jorge Jesus tendem a lapidar outros predicados de Michael, se combinando com as demais estrelas. Taticamente, será mais exigido e talvez não entre sempre em sua posição original. Seus dribles e sua capacidade de definição, em compensação, podem aproximá-lo da área.

Pelo dinheiro investido, o Flamengo traz um jogador para resolver partidas. Mas é importante ter em vista que isso não significa que os rubro-negros ganharão um titular absoluto. Com a espinha dorsal de seu 11 inicial formada, Jorge Jesus adiciona peças dentro da rotação aos diferentes campeonatos e que podem sair do banco durante os jogos. Um dos problemas do Fla nesta reta final de 2019, além da exigência física sobre os titulares, era a falta de opções para mudar a história de algumas partidas. Michael é uma carta na manga. E ele também cobre lacunas prováveis, sobretudo durante as Datas Fifa e a Copa América. Será necessário contar com novos jogadores, principalmente nas posições ofensivas, e ele é um substituto a Arrascaeta.

Do ponto de vista do jogador, Michael se indicou disposto a fechar com o Flamengo. Apesar de outros clubes interessados, o poder de atração dos rubro-negros no momento é óbvio. E o próprio encontro com a torcida tende a ser interessante. Ao longo dos últimos meses no Goiás, o atacante conquistou muitos fãs além dos esmeraldinos, não apenas por seu futebol cheio de habilidade, como também por sua personalidade e por sua própria história de vida. Se os seus dribles tiverem o mesmo efeito na Gávea, não demorará a cair nas graças dos rubro-negros.

Há um risco, claro, inerente a qualquer negociação nestas cifras. Mas, entre os reforços à disposição no mercado brasileiro, a compra de Michael se sugere uma das melhores. E o Flamengo, além do mais, tem caixa para bancar tal aposta. Em uma equipe azeitada como a de Jorge Jesus e com inúmeros jogadores de qualidade, que se potencializam no forte coletivo, o ponta arisco é uma arma a mais.