O Real Madrid confirmou a sua primeira contratação para a próxima temporada. Não é nenhuma surpresa, diante de todas as conversas que se desenrolaram nos últimos meses, mas ainda assim se apresenta como um ótimo negócio. Theo Hernández chega do Atlético de Madrid por €26 milhões, com vínculo estabelecido até 2023. O lateral esquerdo de 19 anos passou a última temporada emprestado ao Alavés e, logo em seu primeiro ano como profissional, já se colocou entre os melhores de sua posição no futebol espanhol. Aposta mais do que compreensível dos madridistas.

Antes de ser anunciado pelo Real Madrid, Theo Hernández provocou uma grande queda de braço entre os rivais da capital espanhola. O lateral nasceu em Marselha, filho de Jean-François Hernández, ex-zagueiro do Olympique. O pai chegou a defender o Atlético de Madrid no final da carreira e, estabelecendo-se na Espanha após pendurar as chuteiras, levou seus dois filhos à base colchonera. Theo iniciou sua trajetória no clube quando tinha 11 anos e atravessou toda a sua formação no Calderón. O irmão mais velho, Lucas, inclusive se tornou profissional pelas mãos de Diego Simeone e compõe o elenco atual. O lateral, contudo, acabou repassado ao Alavés antes mesmo que pudesse estrear pelo time de cima, participando apenas da pré-temporada.

Diante do bom momento do garoto em Mendizorrotza e também dos rumores que começavam a pipocar, o Atleti tentou se antecipar, oferecendo uma renovação – meses depois de já ter aumentado o salário do jogador e ampliado seu vínculo até 2021. O lateral negou a nova proposta. Barcelona e Manchester City se aproximaram dos rojiblancos para contratar Theo, com propostas altas, mas ele também afastou as possibilidade. O defensor já tinha iniciado as tratativas com o Real Madrid no primeiro semestre da temporada e queria seguir a Chamartín. Os colchoneros não gostaram da situação, aludindo ao “tratado de não-agressão” existente entre os rivais – para que não negociem com um atleta antes de fecharem um acordo entre si. Porém, os merengues pouco levaram isso em consideração desta vez. Cobriram a multa rescisória, o que deixou os dirigentes do Atlético de mãos atadas. Santiago Solari tinha sido o último jogador do elenco principal rojiblanco levado pelo Real, em 2000/01, enquanto os colchoneros não contratam ninguém desde Juan Manuel Jurado, em 2006/07.

Passados os imbróglios, Theo chega como um jogador para o futuro, mas também preenchendo uma lacuna no presente. Se Marcelo é o dono absoluto da lateral esquerda, faltava um reserva mais confiável para a posição, que mantivesse as características. Fábio Coentrão mal jogou nos últimos meses, em claro declínio, sofrendo com as lesões constantes. Não à toa, seguiu ao Sporting. Nacho era a alternativa mais comum, embora seja um jogador de virtudes defensivas e necessário para a rotação no miolo de zaga. Além disso, Danilo foi improvisado no setor, em temporada na qual esteve muito mal tecnicamente. Agora, o lado esquerdo possui um substituto capaz de revesar com Marcelo sem representar grande perda e ainda podendo se desenvolver.

Não será surpreendente se Theo oferecer uma nova opção de variação a Zinedine Zidane. Marcelo já atuou diversas vezes como meia esquerda, especialmente em seus primeiros anos no Real Madrid. Se o treinador quiser adiantar o brasileiro e contar com um apoio mais forte pelo flanco, poderia aproveitar o novato neste sentido. Até porque, pensando na ascensão do francês e no envelhecimento do camisa 12, a mudança de posição talvez seja um processo natural dentro de alguns anos, a um jogador que possui a sua ofensividade como principal característica. Cenas para os próximos capítulos.

Em relação ao presente, Theo entregará vitalidade e equilíbrio ao Real Madrid. Durante seus meses no Alavés, o jovem chamou atenção pela capacidade física na lateral da equipe, com muita velocidade e subidas constantes à linha de fundo. Não tem medo de partir para cima da marcação, primando pelos dribles, e bate bem na bola. Marcou um golaço de falta na decisão da Copa do Rei contra o Barcelona, além de acumular um tento e três assistências pelo Campeonato Espanhol. E, com boa estatura, também possui seus predicados defensivos, tanto no combate quanto no posicionamento. A chegada ao Bernabéu pode ser mais um passo para que o garoto se afirme na seleção principal da França, após passar por diferentes categorias na base.

O Real Madrid, por sua vez, reforça sua atenção aos jovens nesta pré-temporada. Depois de apostas muito bem sucedidas nos últimos anos, em especial a contratação de Marcos Asensio, os merengues devem agregar alguns novatos ao elenco principal. O primeiro deles foi Jesús Vallejo, emprestado ao Eintracht Frankfurt, que se destacou na Bundesliga e fez boa competição no Europeu Sub-21. O zagueiro de 20 anos teve sua incorporação ao elenco oficializada e será apresentado como um reforço, por mais que já tivesse contrato com os madridistas.

Resta a expectativa sobre as situações de Borja Mayoral e de Marcos Llorente, outros dois que retornam de empréstimo. O atacante não se sobressaiu tanto nos meses em que defendeu o Wolfsburg. Já o volante brilhou ao lado de Theo no Alavés e jogou demais na Euro Sub-21. A dúvida se concentra mais na disputa com Mateo Kovacic pela vaga como reserva de Casemiro. Além disso, o Betis deseja a inclusão de Llorente em uma possível negociação por Dani Ceballos, melhor jogador da Espanha Sub-21 e na mira de Florentino Pérez. A princípio, Mayoral e Llorente iniciam a pré-temporada com os merengues. Se ficarem, engrossam ainda mais a lista de garotos que podem causar impacto nas mãos de Zidane.