O Real Madrid segue sem deixar pedra sobre pedra na Liga dos Campeões. Mesmo com um time recheado de reservas, os merengues atropelaram o Dinamo Zagreb por 6 a 2, igualando o recorde de gols do time em uma partida de Champions – considerando apenas a fase moderna da competição, a partir de 1992/93. O resultado, além de manter os 100% de aproveitamento, garante à equipe a primeira posição do Grupo D.

O primeiro gol do Real Madrid saiu logo no minuto inicial. Benzema tabelou com Özil, que foi até a linha de fundo e tocou novamente para o francês. De frente para o gol, o atacante apenas colocou a bola no canto, fora do alcance do goleiro Kelava. Sobrando em campo, os merengues ampliaram cinco minutos depois. Özil fez lançamento magistral para Benzema, que ajeitou para Callejón, da entrada da área, fuzilar para o gol.

E o show não parou por aí. Aos oito minutos, Higuaín recebeu de Lass Diarra, deixou Badelj no chão e deu um leve toque por cima do goleiro Kelava. Dominando a posse de bola, o Real Madrid voltou a arriscar aos 13, após jogada de Fábio Coentrão. Higuaín, no entanto, atrapalhou Benzema e ainda mandou a bola para fora.

Aos 17, os croatas deram o seu primeiro chute a gol, em cobrança de falta de Ibáñez que passou longe da meta defendido por Ádan. Mas bastaram apenas três minutos para os espanhóis chegarem ao quarto tento. Higuaín arrematou da meia-lua, Kelava rebateu e, no rebote, Özil não perdoou.

Mesmo com o resultado assegurado, os blancos seguiam marcando por pressão já no campo de ataque, impedindo o Dinamo Zagreb passar o meio-campo. Quando mantinha a bola, trocava passes diante de um adversário acuado. Em uma das infiltrações, aos 27, Fábio Coentrão saiu de frente para o gol, mas viu Kelava fazer boa intervenção.

O arqueiro voltou a salvar aos 37. Benzema recebeu no bico da grande área, mirou o ângulo e Kelava voou, espalmando para escanteio. Na sequência, o francês receberia em boas condições, mas deixou a bola escapar.

José Mourinho queimou suas três alterações logo na volta do intervalo, dando descanso para Sergio Ramos, Xabi Alonso e Özil. E já no terceiro minuto os merengues fizeram o quinto. Varane descolou belíssimo lançamento do campo defensivo para Callejón, que, de cara com o goleiro, apenas escolheu o canto para marcar.

O Real Madrid seguia no controle, mas menos intenso em suas tentativas. Aos 13, Benzema centrou para Higuaín, que chutou de primeira, exigindo nova defesa de Kelava, que rebateu para escanteio. Dois minutos depois, foi a vez de Callejón tentar marcar de cobertura, da entrada da área. O goleiro croata saltou para trás e fez belíssima defesa.

A marca recorde do clube na Champions, enfim, aos 20 minutos. Benzema tocou para Higuaín, recebeu de calcanhar e, já de frente para o gol, cutucou para as redes. O panorama do jogo seguiu inalterado nos minutos seguintes. O Real Madrid controlava o jogo, esperando apenas o momento certo para finalizar.

Aos 36, o Dinamo descontou. Ibáñez cruzou da esquerda e encontrou a cabeça de Fatos Beqiraj, que venceu o goleiro Adán. Mais aceso em busca do sétimo, Benzema quase marcou um gol histórico. Higuaín ajeitou de cabeça para o francês, que dominou dando um chapéu no zagueiro e, de bicicleta, acertou o travessão. Aos 43, Benzema erraria outra vez, finalizando em cima de Kelava.

Por fim, o Dinamo Zagreb fez o segundo aos 44, após erro coletivo da defesa espanhola. Altintop e Sahin se enrolaram com a bola, que sobrou para Badelj. O meio-campista cruzou e, quase em cima da linha, Tomecak escorou para as redes, fechando o placar.

Ficha técnica
Real Madrid 6×2 Dinamo Zagreb

Local: Santiago Bernabéu, em Madrid (ESP)
Data: 22/nov, terça-feira
Árbitro: Alan Kelly (IRL)
Gols: Karim Benzema, a 1’/1T, José Callejón, aos 5’/1T, Gonzalo Higuaín, aos 8’/1T e Mesut Özil, aos 20’/1T; José Callejón, aos 3’/2T, Karim Benzema, aos 20’/2T, Fatos Beqiraj, aos 36’/2T, e Ivan Tomecak, aos 44’/2T).
Cartões Amarelos: Leandro Cufré e Fatos Beqiraj (Dinamo Zagreb)

Real Madrid
Adán, Lass Diarra, Sergio Ramos (Raúl Albiol, no intervalo), Raphael Varane e Fábio Coentrão; Xabi Alonso (Hamit Altintop, no intervalo) e Nuri Sahin; Gonzalo Higuaín, José Callejón e Mesut Özil (Esteban Granero, no intervalo); Karim Benzema. Técnico: José Mourinho

Dinamo Zagreb
Ivan Kelava, Leandro Cufré, Tonel, Damagoj Vida (Arijan Ademi, aos 17’/2T) e Luis Ibáñez; Adrián Calello, Milan Badelj, Mehmed Alispahic (Jerko Leko, no intervalo), Sammir (Ivan Tomecak, aos 36’2T) e Mateo Kovacic; Fatos Beciraj. Técnico: Krusnoslav Jurcic