O Real Madrid aposta em um jogador de um perfil muito diferente do que nos acostumamos a ver nas gestões de Florentino Pérez: Dani Ceballos. O meia, de 20 anos, foi destaque do Betis na última temporada e brilhou no Europeu sub-21. Não é uma superestrela que brilhou na Copa do Mundo ou na Champions League. Nem custou uma fortuna: € 17 milhões e assinou por seis temporadas com o time da capital espanhola. Chega para trazer seu talento aos merengues, ao mesmo tempo que torna o elenco mais espanhol.

LEIA TAMBÉM: Real Madrid fez de tudo para contar com Theo Hernández e ganha em potencial

Nascido em Sevilla, é um meio-campista de ótimo passe e muita habilidade. É veloz, mas a sua principal característica é fazer passes para gols. É um jogador que atua tanto pelo centro quanto pelos lados, tem facilidade de abrir as jogadas e criar espaço. Na última temporada, foram 31 jogos, dois gols e duas assistências. É o terceiro jogador que mais driblou no Campeonato Espanhol da última temporada, segundo dados da Opta Sports, com 81 dribles. Fica atrás apenas de Neymar e Lionel Messi.

Sua trajetória no Betis foi meteórica. Natural de Utrera, na região de Sevilha, ele começou nas categorias de base do Sevilla. Foi dispensado em 2009 com um problema de bronquite. Jogou pelo Utrera, na sua cidade, antes de chegar às categorias de base do Betis, em 2011, com duração até 2014.

Foi promovido ao time principal aos 17 anos, em 2014, justamente quando o clube foi rebaixado e quando estava com o contrato no fim. Teve uma renovação já muito vantajosa e com uma cláusula de rescisão muito acessível: justamente € 15 milhões. O Real Madrid pagou um pouco mais, com bônus de desempenho, para vencer a concorrência com o Barcelona pelo jogador.

Com Ceballos, Zinedine Zidane ganha uma excelente opção para o seu meio-campo. O time que terminou a temporada tinha Casemiro, Kroos, Modric e Isco um pouco mais à frente. Com Caballos é uma opção para jogar no lugar de Isco ou mesmo substituir Modric, eventualmente.

Tem um perfil parecido com outro jogador da seleção espanhola, Marco Asensio, que já é do Real Madrid. Fruto da base do Mallorca, foi contratado pelo Real Madrid em 2014 e novamente emprestado ao Mallorca, em 2014/15, e depois ao Espanyol, em 2015/16. Voltou ao Real Madrid a pedido de Zidane e se consolidou no elenco. Fez até gol na final da Champions League. Esteve, junto com Ceballos, no Europeu sub-21. Se pensarmos em Theo Hernández, contratado do Atlético de Madrid, também segue um perfil parecido: jovem, discreto, para compor elenco e com talento.

James Rodríguez chegou por € 80 milhões em uma contratação típica do Real Madrid: um jogador que brilhou na Copa e o clube pagou uma fortuna para levá-lo a Madri. Ceballos chega com muito mais discrição. Valor baixo, um jogador que deve compor elenco, com muito talento e jovem. Um time mais espanhol, mais talentoso e mais discreto.

Algo que Zidane parece ter participação. É raro dizer isso, mas o Real Madrid conseguiu uma excelente contratação pagando muito pouco. Sabemos que o modelo de contratação do Real Madrid muitas vezes leva em conta não só a parte técnica, mas o marketing. No caso de Ceballos, tem muito de parte técnica e nada de marketing. E tem tudo para ser muito útil, por muitos anos.


Os comentários estão desativados.