O Campeonato Espanhol tem, após pouco mais de dez jogos, uma disputa completamente aberta, com nenhum time se destacando notavelmente até agora. Neste cenário, é importante capitalizar o máximo possível de pontos mesmo quando não se joga lá tão bem. O Real Madrid fez exatamente isso ao visitar o Alavés neste sábado (30), com triunfo por 2 a 1, fazendo a sua parte em uma rodada que ainda colocará frente a frente Atlético de Madrid e Barcelona.

Se no meio da semana o Real brilhou contra o PSG, mas saiu sem a vitória, aqui o contrário aconteceu. Fora de casa, no Estádio Mendizorroza, o time de Zidane fez jogo abaixo do seu nível recente, e o ataque foi apenas coadjuvante. Os heróis do triunfo vieram mesmo é da defesa, com Sergio Ramos e Dani Carvajal balançando as redes.

A equipe que entrou em campo contra o Alavés trouxe quatro alterações em relação ao time que empatou com o PSG. Por questão física, Hazard e Varane deram lugar a Bale e Éder Militão, respectivamente, enquanto Courtois e Valverde foram para o banco em escolha técnica de Zidane, que escalou Aréola e Modric – embora no caso de Valverde seja válido destacar a ótima partida do uruguaio contra o PSG, com sua saída parecendo mais uma questão de gestão de grupo ao dar minutos ao craque Modric do que qualquer outra coisa.

Em campo, o primeiro lance de perigo veio quando Ximo Navarro, do Alavés, cabeceou contra a própria meta e acertou a trave. Ensaiando o protagonismo que viria mais tarde, Sergio Ramos lançou para Carvajal, que apareceu bem na área para deixar Isco em boas condições de marcar, mas o espanhol chapou a bola, tentando o chute colocado, quando deveria ter descido o pé.

Apostando ainda na bola longa, o Real chegou mais uma vez com perigo aos 30 minutos. Desta vez, Bale cobrou lateral rapidamente para Benzema. O francês apareceu na área, cara a cara com o goleiro, mas, marcado, deu um inusitado passe longo para trás, com a lateral do pé, aonde chegava Isco. Mais uma vez, no entanto, o chute do meia não foi bem-sucedido, parando no goleiro Pacheco.

Aos 37 minutos, após passe interceptado, Casemiro apareceu com um chute forte de longa distância, forçando boa defesa do goleiro. Sem sofrer na defesa, o Real Madrid tampouco teve sucesso no ataque no primeiro tempo. Na volta à segunda etapa, era hora de apostar na bola parada.

Há uns bons anos já se sabe que Sergio Ramos não é o tipo de adversário que você deixa subir sozinho na área, e ainda assim foi exatamente isso que aconteceu após cobrança de falta levantada por Kroos. Voando alto, o zagueiro apareceu para completar de cabeça e fazer 1 a 0 aos sete minutos da etapa final.

Controverso como só ele, Ramos foi mais uma vez protagonista 11 minutos depois, mas agora para o mal. O zagueiro deu uma cotovelada no adversário dentro da área, fez pênalti e levou o cartão amarelo do árbitro. Na cobrança, Lucas Pérez converteu, chegando a oito gols em La Liga, todos eles marcados nas últimas nove partidas.

Confirmando seu costumeiro ótimo apoio ofensivo, Carvajal apareceu minutos depois para definir a partida ao Real Madrid. Participou da troca de passes antes do cruzamento de Modric para Isco, e, no rebote da finalização do meia, chegou na pequena área e bateu para garantir a vitória por 2 a 1, aos 24 do segundo tempo.

Classificações Sofascore Resultados

Rodrygo, que entrara no lugar de Bale minutos antes do gol de Carvajal, também participou da troca de passes que resultou no gol do lateral, mas não influenciou o jogo de forma mais decisiva do que isso. No fim da partida, Fede Valverde e Ferland Mendy também ganharam minutos em campo, à medida que o Real segurava o resultado.

O duelo foi duro, cheio de pancadas, muita chuva e poucas jogadas destacáveis, mas é exatamente o tipo de jogo que um postulante ao título deve ganhar – ainda mais em rodada que coloca dois de seus concorrentes um contra o outro. Agora com 31 pontos, o Real pode terminar a rodada três pontos à frente dos rivais, com o melhor de seus cenários sendo a vitória do anfitrião Atleti sobre o Barça.