Se dentro de campo Marcus Rashford vive sua temporada de maior sucesso, fora dele a fase também é excelente. Depois da campanha bem-sucedida em fazer o governo de Boris Johnson voltar atrás em sua decisão de suspender os vouchers de refeições gratuitas a estudantes carentes, o atacante receberá o título de doutor honoris causa pela Universidade de Manchester, tornando-se o mais jovem a receber a honraria por parte da instituição.

Em declaração publicada pelo site do Manchester United, o atacante, de apenas 22 anos, expressou sua gratidão pela honraria, concedida anteriormente a outros atores do futebol, como Alex Ferguson, Bobby Charlton e, mais recentemente, Vincent Kompany, este último também por uma campanha de impacto social na cidade, ao se juntar a uma iniciativa para oferecer abrigo à população local em situação de rua.

“É um dia de orgulho para mim e para minha família. Quando você olha para os grandes nomes que foram premiados com este doutorado no passado, é uma honra. Ainda temos um longo caminho a percorrer na luta para combater a pobreza infantil neste país, mas receber o reconhecimento de sua cidade significa que estamos indo na direção certa, e isso significa muito”, comemorou Rashford.

Presidente e vice-chanceler da Universidade de Manchester, Nancy Rothwell exaltou a maneira como Rashford exerceu seu papel de modelo a ser seguido para além do futebol: “O Marcus é um jovem extraordinário, com um talento e uma motivação extraordinárias, que vão muito além do campo de futebol. Seu trabalho de caridade e sua campanha importante não apenas ajudarão inúmeros jovens em nossa cidade como também em todo o país”.

“A nossa universidade tem a responsabilidade social em sua essência, e este sentido de dever e orgulho cívicos é algo que temos orgulho de compartilhar com o Marcus. É por isso que a universidade tem o prazer de tornar Marcus o destinatário mais jovem de um diploma honorário”, completou Rothwell.

No mês passado, após notícias de que o governo britânico iria suspender o seu programa de vouchers de refeições gratuitas a estudantes carentes durante o período de férias de verão, Rashford escreveu uma carta aberta aos parlamentares, pedindo a extensão do plano. Evocando sua própria experiência quando criança, um de cinco filhos criados apenas pela mãe, o jogador destacou como aqueles benefícios foram importantes para a sua própria sobrevivência e seu crescimento.

A repercussão da carta de Rashford foi imediata, e o governo Boris Johnson recuou em seus planos, anunciando a extensão para as seis semanas de férias de verão das crianças no Reino Unido. Exaltado pela comunidade de futebol e também por políticos e personalidades públicas, Rashford ganha agora um reconhecimento oficial pelo papel tremendo que desempenhou para mudar ativamente a realidade de mais de um milhão de estudantes.