A importância do jogo para o Manchester United ficou clara na escalação. Solskjaer fez poucas mudanças no time titular para enfrentar o Chelsea, em Stamford Bridge, pelas oitavas de final da Copa da Liga, e colheu os frutos. A bola parada de Rashford foi mortal, primeiro cobrando pênalti, e depois com uma cobrança de falta venenosa que garantiu aos Red Devils a passagem às quartas de final com a vitória por 2 a 1.

Em relação à equipe que venceu o Norwich, apenas Ashley Young, Andreas Pereira e Anthony Martial não começaram o clássico contra o Chelsea. Solskjaer mudou o esquema para três zagueiros, com Rojo no lugar do francês. Brandon Williams ficou à esquerda, e Lingard entrou na vaga de Pereira. Lampard usou mais o seu elenco, com Marc Guehi e Reece James na defesa, Billy Gilmour no meio-campo e um ataque com Hudson-Odoi, Batshuayi e Pulisic.

McTominay quase abriu o placar completando uma jogada ensaiada de escanteio que a defesa de um time como a do Chelsea não poderia permitir – o toque rasteiro para o meio da área -, mas, como no duelo pela Premier League, o placar foi aberto de pênalti. E um pênalti bem discutível porque Alonso parece apenas trombar com Daniel James. De qualquer maneira, Rashford converteu, depois de o United perder dois no fim de semana, contra o Norwich (um do próprio Rashford, outro de Martial).

O Chelsea voltou com tudo do intervalo e, depois de uma série de jogadas perigosas, conseguiu o empate, aos 15 minutos, quando Batshuayi arrancou do meio-campo e soltou um preciso chute rasteiro de fora da área, no canto de Sergio Romero.

E, então, os torcedores do United tiveram um dèja vu. Falta na intermediária, bem longe do gol. Rashford na bola. Partiu para a cobrança e soltou um míssil. A pelota subiu, pegou uma curva e morreu nas redes de Caballero com uma trajetória muito parecida às melhores cobranças de falta de Cristiano Ronaldo na época em que o craque português vestia a camisa vermelha.

Em uma temporada complicada, Solskjaer decidiu não desdenhar da Copa da Liga Inglesa e alcançou uma vitória importante, que pode dar um pouco mais de moral para o seu time, graças à precisão de Rashford na bola parada.

.

.