Formado pelas categorias de base do Corinthians e com uma carreira que se desenvolveu principalmente nos clubes do interior paulista, o meia Cesinha não é reconhecido pela maioria do público brasileiro. Em compensação, na Coreia do Sul, o camisa 11 é rei desde que passou a defender o Daegu. O jogador de 30 anos está em sua quinta temporada na K-League e se consolidou como um dos principais estrangeiros da competição. O golaço anotado por ele nesta sexta-feira, num lance de qualidade e ousadia, ajuda a entender muito bem o porquê.

Cesinha chegou ao Daegu em 2016, após ser reserva da Ponte Preta no Brasileirão anterior. O meia teve grande importância na conquista do acesso rumo à elite da K-League e se manteve como um dos destaques em sua equipe. Nas últimas três edições da primeira divisão, o brasileiro somou 30 gols em 87 partidas pelo Daegu. Já nesta rodada, marcou seu primeiro tento pelo novo campeonato, e logo uma pintura sensacional.

O lance é de extrema dificuldade e, por isso, ainda mais bonito. Cesinha acompanhou a corrida de Jung Seung-won e recebeu o passe na medida para concluir. Se chutasse de chapa, talvez anotasse o gol com mais facilidade. Mesmo assim, o camisa 11 resolveu arriscar e bateu de letra na bola. Girar o corpo em meio à arrancada e pegar em cheio na bola não é das tarefas mais simples, mas o meia executou o movimento perfeito e venceu o goleiro do mesmo jeito. Gol de placa, que só não valeu a vitória do Daegu, cedendo o empate por 1 a 1 ao Sangju Sangmu.

O Daegu é apenas o nono colocado na K-League, com três pontos em quatro rodadas. Deve ser um mero figurante na tabela. De qualquer maneira, o gol de Cesinha vale o reconhecimento. Em tempos nos quais o futebol sul-coreano recebe mais holofotes, o que o brasileiro fez merece aplausos.