O Liverpool de Jürgen Klopp passou muito tempo sendo caracterizado como um time desequilibrado, com um ataque fulminante e uma defesa frágil. Mas desde a chegada de Virgil Van Dijk, em janeiro, a retaguarda vermelha tornou-se muito mais sólida e, ao vencer o Crystal Palace por 2 a 0, nesta segunda-feira, os Reds chegaram a três rodadas da Premier League seguidas sem serem vazados apenas pela segunda vez sob o comando do técnico alemão, que chegou em outubro de 2015.

LEIA MAIS: Milner, do Liverpool: “Podemos ganhar de qualquer um. Passou da hora de ganharmos um título”

A série conta a goleada por 4 a 0 sobre o Brighton, na última rodada da temporada passada, e a aplicada, pelo mesmo placar, no West Ham, no fim de semana anterior. Em três edições quase completas do Campeonato Inglês em que foi comandado por Klopp, o Liverpool tem apenas uma sequência parecida: em maio de 2017, foram quatro partidas sem levar gol, contra Watford, Southampton, West Ham e Middlesbrough.

A chegada de Van Dijk é um divisor de águas muito claro. Ele estreou pelo clube na Premier League contra o Swansea, em 22 de janeiro. Desde aquela derrota por 1 a 0, foram apenas dez gols sofridos em 17 rodadas. O holandês, que melhorou as atuações dos companheiros, como Dejan Lovren, foi elogiado por Klopp pela maneira como lidou com os confrontos físicos contra Christian Benteke na partida desta segunda-feira. “Não conheço muitos zagueiros no mundo que fariam isso”, disse.

Van Dijk sem dúvidas foi importante, mas o sistema defensivo como um todo melhorou. Tanto que o seu parceiro nas duas primeiras rodadas da Premier League foi Joe Gomez, apenas o quarto homem da posição, atrás de Lovren e Joel Matip. A chegada de Alisson passou mais confiança, embora o goleiro brasileiro ainda tenha sido muito pouco exigido. Realizou duas defesas contra o Palace – uma delas muito boa, em cobrança de falta – e outras duas diante do West Ham, o que ratifica que a defesa vermelha está protegendo melhor o seu guarda-redes.

O ataque que foi fulminante contra o West Ham não conseguiu fluir no Selhurst Park da mesma maneira. James Milner abriu o placar, em pênalti contestável sobre Mohamed Salah, convertando sua oitava cobrança seguida pela Premier League, um recorde, e Mané ampliou no contra-ataque, já no final da partida. A boa notícia para a candidatura do Liverpool ao título inglês é que suas vitórias não estão mais dependendo exclusivamente do poderío ofensivo.


Os comentários estão desativados.