Vichai Srivaddhanaprabha, dono do Leicester moto em um acidente de helicóptero no fim de semana, arriscou quando escolheu Claudio Ranieri para ser o técnico do clube. O italiano estava em baixa, depois de uma passagem pela Grécia, e mesmo em seus melhores momentos não foi grande coisa. O fim da história vocês conhecem: Ranieri comandou com maestria o título mais improvável dos últimos tempos e, mesmo tendo sido demitido por Vichai, não guarda nenhuma mágoa.

LEIA MAIS: O legado de Vichai é único, porque entendeu o futebol como raros e agiu para realizar sonhos

Em entrevista à Sky Sports Itália, Ranieri teceu apenas elogios sobre o seu ex-chefe. “Eu fiquei terrivelmente abalado pelas notícias. Ele era um bom homem e sempre tinha uma palavra positiva para todos. Sua positividade e habilidade de fazer com que todos o amassem eram claras. Ele entrava no vestiário apenas para dizer palavras gentis, nunca para repreender”, afirmou.

“Ele era um homem iluminado e tudo que tocava ficava melhor. Vichai Srivaddhanaprabha fez uma contribuição muito importante para o título da Premier League porque chegava 30 minutos antes dos jogos para abraçar todo mundo. Ele nunca disse uma palavra fora da linha, estava sempre feliz, com um sorriso no rosto. Estou muito triste agora. Quero me juntar à família, em luto”, completou.

Ranieri lembra que, logo na primeira reunião, teve uma ótima impressão de Vichai, um homem, segundo ele, “positivo e cheio de energia”. “Uma vez, pouco depois do meu aniversário, ele chegou ao vestiário com um grande bolo e fez todo mundo cantar parabéns. Agora, depende do seu filho, que sempre foi apaixonado por futebol, seguir os passos do pai”, encerrou.