As últimas semanas não andam sendo tão fáceis ao Leicester. Com apenas três vitórias desde outubro na Premier League, o time sofre com a sombra da zona de rebaixamento, embora sua concorrência consiga ser ainda pior. Mas, em meio às preocupações, a última segunda ofereceu um motivo de alento e de orgulho às Raposas, com a escolha de Claudio Ranieri como o melhor técnico de 2016. Reconhecimento ao enorme trabalho empreendido pelo italiano, transformando um candidato ao rebaixamento em campeão.

Após a conquista, Ranieri concedeu uma interessante entrevista ao site da Fifa. Fez uma retrospectiva sobre as emoções que viveu em Leicester e sobre os pontos fortes de sua primeira temporada no clube. Além disso, ressaltou a importância do envolvimento dos torcedores e de outros tantos simpatizantes que os ingleses ganharam ao longo da caminhada.

VEJA TAMBÉM: O mais legal da cerimônia da Fifa foram as homenagens

“O que me deu mais alegria, diante de tudo, foi ver os torcedores tão felizes e ler as cartas que as pessoas enviavam para nós de todas as partes do mundo. Isso mostrou para mim que não é apenas um esporte e que nós podemos tocar as pessoas em outras esferas da vida. As pessoas diziam: ‘Se o Leicester pode conquistar a Premier League, todo mundo pode lutar por boas coisas na vida, mesmo quando as chances de sucesso são pequenas'”, apontou.

Perguntado sobre qual o segredo do sucesso do Leicester, Ranieri esbanjou sinceridade: “É difícil destacar um só ponto. Tudo foi perfeito. É difícil de explicar a química no vestiário. Foi mágico e algo que nunca tinha acontecido comigo antes. Dentro de campo, nós apenas aproveitamos ao máximo as circunstâncias. Jogamos bem, mas também aconteceu de nenhum dos grandes times estar no ápice de seu jogo. É estranho dizer algo assim quando você vence a liga com dez pontos de vantagem, mas é a verdade”.

Já sobre os seus méritos, o treinador voltou a falar sobre o valor do relacionamento interpessoal: “Eu tenho muita paixão e penso que sou bom em lidar com meus jogadores. É preciso dizer que eu tenho a chave para abrir a mente dos meus jogadores, embora não de todos. É doloroso quando eu não consigo fazer isso, porque sinto que é mais minha culpa que deles. Eu penso que este é o segredo, porque, quando você está trabalhando no mais alto nível, é vital mostrar aos seus jogadores o quanto você ama o futebol, isso os convence a fazer o mesmo. Mas, se você realmente quer saber o que os jogadores querem, precisa conversar mais com eles”.

ranieri

Além disso, o italiano destacou como o futebol atual torna mais difícil que a façanha se repita: “A vida é imprevisível, mas se todo mundo diz que a história do Leicester foi um conto de fadas, talvez isso signifique que em 50 anos algo parecido possa acontecer novamente. Neste momento, o dinheiro compra os melhores jogadores. E, ao fim do dia, é o time com o melhor elenco que tem as melhores chances de sair campeão. Isso é um fato. Mas nós mostramos que não são apenas os mais ricos que podem vencer, então isso significa que é algo que não acontece só uma vez”.

Sobre a atual temporada, Ranieri não negou os problemas que o Leicester enfrenta. Mas apontou, entretanto, que a sorte tem faltado às Raposas, em situação contrária ao que aconteceu na temporada passada. Além disso, falou como o ambiente no elenco vem sendo diferente na Liga dos Campeões.

“Não tem sido fácil, mas a sorte tem influenciado também. Na temporada passada, em todas as vezes que os oponentes criavam chances, eles perdiam. Agora, elas estão entrando. É também verdade, entretanto, que talvez nós não estejamos focados o suficiente na Premier League, porque pensamos que podemos dar a volta por cima a cada derrota. Tem sido diferente na Champions. É um torneio novo para nós, mais curto, o que nos ajuda com o foco”, analisou. “A sorte é absolutamente essencial no futebol! Você precisa de sorte em todas as situações. Você pode trabalhar duro e fazer tudo perfeito, mas se não tiver sorte… Obviamente, você não pode sentar sob uma árvore e esperar que a sorte venha a você. Se você quer ser um sortudo, precisa ir atrás disso”.

Por fim, o técnico ofereceu uma dose de ironia ao ser perguntado se o Leicester tem chances de repetir o sucesso da Premier League e conquistar também a Champions. “Não, o Leicester mostrou na última temporada que tudo é possível, mas vamos falar sério”, disse, aos risos.