A reformulação do Barcelona continua em curso. Ivan Rakitic foi anunciado pelo Sevilla e, aos 32 amos, retorna ao clube que defendeu de 2011 a 2014. Além disso, sua esposa, Raquel Mauri, é de Sevilha. O custo da contratação foi baixo para os atuais campeões da Liga Europa: € 1,5 milhão, com mais € 750 mil a cada classificação europeia dentro do contrato do jogador, que vai até 2024.

Nos três anos e meio que passou no Sevilla, disputou 149 partidas, com 32 gols marcados e 41 assistências. Quando deixou o clube, em 2014, era o capitão do time que conquistou a Liga Europa na temporada 2013/14 diante do Benfica, em Turim. Desde então, o clube rojiblanco se tornou o rei da competição e conquistou mais três títulos, em 2015, 2016 e 2020, conquistada recentemente sobre a Inter de Milão.

O croata contratado na época por € 18 milhões (€ 19 milhões, atualizado pela inflação) e seu sucesso na nova casa foi imediato. Na temporada 2014/15, o Barcelona conquistou a tríplice coroa e Rakitic fez gol na final daquela Champions League. Os anos se passaram, Rakitic passou a ser mais questionado e o meio-campo, antes alvo de elogios com Sergio Busquets e Andrés Iniesta, decaiu. Iniesta deixou o clube, Busquets caiu de produção, assim como Rakitic. Na temporada 2019/10, Rakitic perdeu espaço e começou a ir para o banco já com Ernesto Valverde e continuou assim com Quique Setién.

Com a chacoalhada que o Barcelona tomou do Bayern de Munique a ânsia por mudanças no clube, Rakitic não dificultou o processo para a sua saída. Buscou assim a melhor forma de voltar ao clube onde foi aplaudido toda vez que foi jogar lá.

Especulado em diversos clubes ao longo das últimas janelas, especialmente depois da ótima campanha da Croácia na Copa do Mundo de 2018, quando a seleção croata conquistou o vice-campeonato, volta para o clube que o desejava – e que a sua família também queria. Segundo o Marca, Rakitic fez um “esforço econômico importante” para regressar ao clube.

Nascido em Möhlin, na Suíça, filho de pais croatas que fugiram da Guerra dos Bálcãs. Chegou a jogar pelas seleções suíças de base, mas decidiu mudar para a seleção croata em 2007. O jogador foi revelado pelo Basel, justamente na Suíça, e se transferiu para o Schalke 04, da Alemanha, em 2007, por € 5 milhões (€ 6 milhões, corrigido pela inflação). Em 2011, chegou ao Sevilla por € 2,5 milhões (€ 2,7 milhões corrigido pela inflação).

A transferência é satisfatória para todos. O Barcelona não queria mis Rakitic, que por sua vez estava infeliz no clube da Catalunha, jogando pouco. O Sevilla ganha o reforço de um jogador de qualidade, experiente e identificado com o clube. Tende a ser ótimo para os rojiblancos para tentar dar um passo acima e lutar por mais na  Champions League e La Liga.