Quero ser um jogador profissional

Vocês certamente já ouviram falar que uma parte muito pequena das pessoas que sonham em virar jogador de futebol atinge esse objetivo, certo? E que uma parte menor ainda consegue o sucesso financeiro dos Ronaldos e cia, correto? Pois bem, mesmo assim, há ainda aqueles que não desistem.

Recentemente houve um jogador que fez um anúncio em jornal procurando clube, após ser dispensado pelo Vasco da Gama (virou matéria). Já foi uma atitude diferente, mas há algum tempo conheci a história de Maykon Vareiro, que junto do amigo Salir, fez as malas, juntou um dinheirinho e foi tentar a sorte na Rússia. Essa história vocês podem conhecer por este link e no vídeo abaixo.

Leram o texto? Assistiram os vídeos? Bom, então vocês já devem estar pensando “o cara realmente é insistente com essa história de jogar futebol”. Na Rússia ele não conseguiu ficar, e no Brasil, até aqui, ainda não foi aprovado por clube algum.

Mas, como já cantava Raul Seixas, “tente outra vez”. E Maykon está tentando, agora no pequeno Novoperário, de Campo Grande-MS, sua terra natal. Segundo o próprio, tem prometido da comissão técnica um teste no time, atual campeão da segunda divisão sul-matogrossense.

Para ampliar suas chances, ou ao menos torná-las públicas, criou uma página no Facebook: Queremos o Maykon no Novoperário. E ganhou um apoio importante… “O presidente e a comissão já sabem do meu interesse, tanto que o presidente até curtiu minha FanPage no Facebook. Ao todo, 135 pessoas já curtiram”.

E olha que o Maykon nem pede tanto, na verdade, nem pede algo: “Já disse ao presidente que jogaria pela equipe sem receber até provar que eu posso ser útil, me tornar um bom jogador e receber aquilo que eu merecer, porque sei que não sou bom nem famoso como o Neymar ainda, mas sei que sou capaz disso. Não tenho medo de fazer esse investimento e largar meu emprego, que consegui para me manter e onde ganho razoavelmente bem, para jogar sem receber nada. Isso porque sei que eu posso conseguir me tornar um profissional e um bom jogador, mas preciso voltar a treinar logo”.

Força de vontade é o que não falta ao garoto de 23 anos.