GOLEIROS

1 – Manuel Neuer

Goleiro, 28 anos, Bayern de Munique

A tradicionalíssima escola de goleiros alemã está em ótimas mãos com um dos melhores do mundo na posição. Neuer já tem a experiência de ter sido titular com o Nationalelf na Copa de 2010 e só cresceu desde então, ganhando mais destaque depois da transferência para o Bayern. Dono de reflexos impressionantes e segurança nas bolas aéreas, não foi tão exigido nesta temporada. A recente lesão também deixa os alemães preocupados com suas condições. Mas, se falta ritmo, qualidade técnica sobra para o camisa 1.

12 – Ron-Robert Zieler

Goleiro, 25 anos, Hannover 96

Zieler não era o mais cotado para ser o terceiro goleiro da Alemanha, mas a regularidade com a camisa do Hannover acabou pesando em sua escolha. Com longo histórico nas seleções de base, chegou à equipe principal em 2011. É um arqueiro que ocupa muito bem seu espaço na área e sabe também sair jogando com os pés.

22 – Roman Weidenfeller

Goleiro, 33 anos, Borussia Dortmund

Weidenfeller demorou demais para começar a ser chamado pela seleção alemã. Apesar das seguidas provas de talento com o Borussia Dortmund, sua primeira partida internacional aconteceu apenas em novembro de 2013. A pouca experiência com o Nationalelf, no entanto, não o deixa de credenciar como uma excelente alternativa a Manuel Neuer. O reflexo e a elasticidade são os maiores trunfos de um arqueiro que cresce nos momentos decisivos.

DEFENSORES

2 – Kevin Grosskreutz

Defensor, 25 anos, Borussia Dortmund

É até difícil definir a posição de Grosskreutz. Com a camisa do Borussia Dortmund, o meio-campista polivalente atuou em quase todas as 11 posições da equipe. Na seleção, porém, é usado majoritariamente na lateral – onde é regular, mas não chega a ser encantador. Está no elenco mais por sua utilidade e por sua constância, demonstrada há algum tempo com a camisa aurinegra.

3 – Matthias Ginter

Defensor, 20 anos, Freiburg

Talvez a maior surpresa da lista definitiva de 23 convocados, Ginter é outro que ganha espaço por sua multifuncionalidade. O garoto vem de boa temporada com o Freiburg, onde mostrou grande capacidade defensiva. Pode ser escalado tanto como zagueiro quanto como volante, duas posições nas quais Joachim Löw tem necessidades grandes. Sua primeira partida pelo Nationalelf aconteceu apenas em março. Em compensação, foi eleito por dois anos consecutivos entre os melhores das seleções de base.

4 – Benedikt Höwedes

Defensor, 26 anos, Schalke 04

O longo tempo como um dos protagonistas do Schalke 04 fazem com que Höwedes seja um zagueiro respeitado internacionalmente. Contudo, sua aparição pela seleção principal foi relativamente tardia, convocado em 2011 – dois anos depois de ter sido campeão da Euro Sub-21 em uma geração de ouro para o Nationalelf. Dono de um jogo sólido e bom nos passes, é uma opção para o miolo da zaga, mas deve jogar como lateral esquerdo, diante da ausência de Marcel Schmelzer.

5 – Mats Hummels

Defensor, 25 anos, Borussia Dortmund

Está não é a melhor fase de Hummels, mas ele continua sendo a principal referência na zaga alemã. Um dos melhores do mundo em sua posição, prima pela alta capacidade defensiva, além da excelente saída de jogo, especialmente nos lançamentos longos. Por isso mesmo, mantém-se intocável com Joachim Löw, por mais que os erros tenham sido mais frequentes do que em outros tempos. Sua primeira convocação só aconteceu em maio de 2010, sem dar tempo de ir à África do Sul, mas o camisa 5 tem uma boa Eurocopa na bagagem.

15 – Erik Durm

Defensor, 22 anos, Borussia Dortmund

Diante da carência dos alemães nas laterais, Durm não precisou de muito para se tornar solução. As boas atuações no Dortmund, substituindo justamente Schmelzer, serviram para que Löw se assegurasse de sua capacidade. Mesmo tendo sido deslocado do ataque para a lateral, o garoto também demonstra virtudes defensivas. A princípio, será reserva de Höwedes, mas se candidata a ser a principal surpresa do Nationalelf na Copa.

16 – Phillip Lahm

Defensor, 30 anos, Bayern de Munique

Lahm se estabeleceu entre os melhores laterais do mundo desde a Copa de 2006. Após dois excelentes Mundiais atuando pela esquerda, eleito em ambos para a seleção do torneio, mudará de posição em 2014. E talvez não jogue pela direita, onde se acostumou no Bayern de Munique. Diante das dúvidas na cabeça de área, poderá ser mesmo volante. Na lateral, o capitão se destaca pelo ritmo forte e pelas subidas ao ataque. Já no meio, mantém a intensidade, mas contribuindo para a cobertura de espaços e a cadência do jogo. Não à toa, é apontado por Pep Guardiola como o jogador mais inteligente com o qual trabalhou. Será protagonista nesta Copa, pela liderança e pela transformação que poderá fazer na equipe.

17 – Per Mertesacker

Defensor, 29 anos, Arsenal-ING

Mertesacker está longe de ser um zagueiro ágil. Mas o que poderia ser um problema acaba sendo compensado por outras tantas habilidades. O jogador do Arsenal é muito técnico, soberano no jogo aéreo e constante. Por isso mesmo se mantém absoluto na defesa há tanto tempo, com duas Copas na bagagem. É o parceiro ideal para Mats Hummels e também uma arma poderosa nas bolas paradas, ao subir à área adversária.

20 – Jérôme Boateng

Defensor, 25 anos, Bayern de Munique

Boateng está longe de ser uma unanimidade, mas deve ir a sua segunda Copa do Mundo como titular. E, ao contrário do modo como joga no Bayern, outra vez na lateral direita. A força na marcação é o trunfo do descendente de ganeses, por mais que a lentidão atrapalhe um bocado e sua virtuosidade nas subidas ao ataque seja mínima. Ainda assim, a rodagem em uma das melhores equipes da Europa só ajuda.

21 – Shkodran Mustafi

Defensor, 22 anos, Sampdoria-ITA

Mustafi foi o último chamado para o Nationalelf, escolhido como substituto de Marco Reus. A substituição de um atacante por um zagueiro pode gerar curiosidade, mas só reforça a intenção de Löw em usar Boateng e Höwedes nas laterais. Depois de uma boa temporada pela Sampdoria, foi levado por Löw para a pré-lista e só fez sua primeira partida pela equipe nacional em maio. Formado pelo Hamburgo, passou pelo Everton antes de chegar à Itália e possui experiência nas seleções menores.

MEIO-CAMPISTAS

6 – Sami Khedira

Meio-campista, 27 anos, Real Madrid

Joachim Löw esperou até o último momento por Khedira e, mesmo sem ritmo, o volante foi chamado para a Copa após um longo período afastado dos gramados por lesão no joelho. Só demonstra a confiança que o treinador tem em um de seus principais volantes, ótimo na proteção da defesa e muitíssimo técnico. A questão maior será sobre o desenvolvimento do camisa 6, que não teve atuações muito animadoras no final de temporada com o Real Madrid. Foi um dos que mais encantou na equipe que caiu nas semifinais na Copa de 2010, cavando sua transferência do Stuttgart para os merengues.

7 – Bastian Schweinsteiger

Meio-campista, 29 anos, Bayern de Munique

Talvez o melhor jogador do mundo que as pessoas esqueçam que é candidato à Bola de Ouro. Schweinsteiger carregou por muito tempo a pecha de não ter grandes conquistas, mas o título da Liga dos Campeões de 2013 com o Bayern, quando foi protagonista, ajudou a mudar essa sensação. O meio-campista tem 102 jogos pelo Nationalelf e duas boas participações em Copas. Dono de uma presença impressionante e de ótima chegada ao ataque, o volante só fica em xeque por causa das lesões que sofreu recentemente. Ainda assim, salvou o Bayern em vários dos momentos sofríveis do clube no final da temporada.

8 – Mesut Özil

Meio-campista, 25 anos, Arsenal-ING

Pouca gente conhecia Özil até o Mundial de 2010. E o maestro alemão foi a grande surpresa da campanha até as semifinais, orquestrando a equipe com ótimas jogadas. Os últimos quatro anos foram intensos para o camisa 8. Não rendeu o que se esperava no Real Madrid, fracassou na Euro 2012 e não garantiu satisfação plena na primeira temporada no Arsenal. Mesmo que sem ser tão intocável quanto em outros tempos, mantém seu lugar na seleção por toda a sua qualidade técnica. Mas precisa aproveitar essa Copa do Mundo para demonstrar que pode sim ser decisivo e conduzir a Alemanha a uma grande conquista.

9 – André Schürrle

Meio-campista, 23 anos, Chelsea-ING

Schürrle não é dos nomes mais visados no setor ofensivo da Alemanha. Um erro, pelo alto nível que o atacante tem demonstrado desde sua última temporada no Bayer Leverkusen. Muito veloz e com alta capacidade para marcar gols, o camisa 9 fez uma temporada ótima pelo Chelsea e pode até mesmo arranjar seu lugar entre os titulares da seleção, na ponta direita. Possui a experiência de 33 jogos e 13 gols pelo Nationalelf, com a Euro 2012 no currículo.

14 – Julian Draxler

Meio-campista, 20 anos, Schalke 04

Draxler é apontado como o futuro da seleção alemã, mas já é realidade no Schalke 04 há muito tempo e, se tiver espaço, também poderá ser no Nationalelf. O meia habilidoso tem capacidade para atuar tanto na armação quanto pelos lados de campo, sem sentir a influência da pouca idade. Chamado à seleção principal desde 2012, tem na Copa do Mundo sua grande oportunidade de ganhar rodagem.

23 – Christoph Kramer

Meio-campista, 23 anos, Borussia Mönchengladbach

Kramer não estava presente na lista de 30 jogadores chamados por Joachim Löw, mas foi incluído depois no grupo e conseguiu achar um espaço entre os 23 da Copa – especialmente depois do corte de Lars Bender. Em uma posição com concorrência renomada, deverá apenas compor elenco. Possui apenas dois jogos pelo Nationalelf, mas vem de uma boa temporada com o Borussia Mönchengladbach, pelo qual foi um dos melhores volantes da Bundesliga.

18 – Toni Kroos

Meio-campista, 24 anos, Bayern de Munique

Talento e versatilidade que servem muito ao meio-campo da Alemanha. Às vezes nem parece que Kroos tem apenas 24 anos, tanto pela maturidade que demonstra em campo quanto pela afirmação que teve nos últimos anos. Sua primeira convocação ao Nationalelf aconteceu apenas em março de 2010, o suficiente para já ser reserva na Copa daquele ano. Podendo atuar como volante ou meia, o camisa 18 tem excelente visão de jogo, qualidades defensivas e talento no apoio ao ataque, sobretudo com seus chutes de fora. Independente da posição, deverá ser titular.

19 – Mario Götze

Meio-campista, 22 anos, Bayern de Munique

Götze chega à Copa do Mundo a princípio como reserva, mas é um grande trunfo na manga de Joachim Löw. Quando estourou no Borussia Dortmund, o garoto até aparentava que roubaria com maior facilidade um lugar entre os titulares. Mas a queda de desempenho com os próprios aurinegros e a falta de uma sequência melhor com o Bayern de Munique impediram. Ainda assim, o prodígio tem tudo para ser um diferencial na equipe, por suas virtudes ofensivas, sobretudo a capacidade técnica. É uma opção como meia central, como ponta direita e como falso 9, o que o torna ao menos um potencial substituto para todas as ocasiões.

ATACANTES

10 – Lukas Podolski

Atacante, 29 anos, Arsenal-ING

Podolski é uma das figurinhas carimbadas da Alemanha, mas parecia a ficar no banco em sua terceira Copa do Mundo. Afinal, Marco Reus era o jogador da seleção em melhor fase e o principal representante da nova geração prometida para o Mundial de 2014. Entretanto, a lesão do craque mudou o destino do camisa 10. Que demonstrou que o agarrará com todas as forças, ao arrebentar nos 45 minutos em que esteve em campo no amistoso contra a Armênia. Ainda que não faça tanto sucesso pelos clubes, na seleção quase sempre mostra serviço. E, mesmo assim, o fim de temporada pelo Arsenal foi muito bom. Tem capacidade para decidir e um ótimo chute, o que pode fazer a diferença para os alemães.

11 – Miroslav Klose

Atacante, 36 anos, Lazio-ITA

Klose vai para a sua quarta Copa do Mundo mirando um recorde: com mais um gol, iguala Ronaldo como o maior artilheiro da história dos Mundiais. A regularidade (marcou cinco tentos em 2002 e 2006, além de quatro em 2010) indica que a marca é bastante palpável, assim como o fato de ser o único centroavante do elenco. A questão maior é se Löw o usará mesmo como titular, diante das seguidas lesões que o perseguiram recentemente. Mas uma coisa é certa: pouquíssimos jogadores das 32 seleções possuem um faro de gol tão grande. Se a situação apertar, uma bola na cabeça ou nos pés do centroavante poderá decidir o jogo.

13 – Thomas Müller

Atacante, 24 anos, Bayern de Munique

Um dos artilheiros e também eleito a revelação da Copa do Mundo de 2010, Thomas Müller evoluiu ainda mais desde então. É um atacante que não se sobressai a todo momento, mas sabe ser decisivo graças à combinação entre velocidade em corridas curtas e bom posicionamento. É uma peça útil no sistema de Joachim Löw, já que preferencialmente atua pelo lado direito do ataque, mas também pode ser deslocado para ser referência na área. O bom porte físico e o poder de fogo permitem isso. Caiu de rendimento assim como o resto do elenco do Bayern no final da temporada, mas a forma como chama a responsabilidade ajuda muito em um torneio de tiro curto como o Mundial.