Dezessete jogadores do Brasil entraram em campo, neste domingo, e aproximadamente um terço deles aproveitou a oportunidade de enfrentar a frágil Honduras, com um jogador a menos desde metade do primeiro tempo, para fazer o seu golzinho e ganhar confiança para a disputa da Copa América. Foram seis marcadores na goleada por 7 a 0, em um Beira-Rio com baixa presença de público – 16.521.

Thiago Silva, Philippe Coutinho, David Neres, Roberto Firmino, Richarlison e Gabriel Jesus, o único que marcou duas vezes, construíram a goleada. Apenas Everton, entre jogadores de ataque, não marcou. O amistoso fornece poucas conclusões. Sim, o Brasil jogou bem coletivamente e pareceu mais leve sem Neymar, mas, outra vez, enfrentou um adversário frágil que teve um atleta expulso por volta dos 28 minutos do primeiro tempo e mal ofereceu resistência.

Depois de Gabriel Jesus abrir o placar, com uma cabeçada na segunda trave completando uma boa trama entre Richarlison e Daniel Alves pela direita, Coutinho cobrou o escanteio no primeiro pau para Thiago Silva ampliar. Minutos antes, havia realizado a mesma jogada, em outro canto, certamente uma movimentação ensaiada pelo técnico Tite.

Aos 18 minutos, depois da pressão do ataque brasileiro, Coutinho recebeu o passe de Richarlison na entrada da área e desferiu um perigoso chute cruzado. Se estava fácil, ficou mais ainda quando Quioto foi expulso por falta em Arthur, que não conseguiu continuar em campo e foi substituído por Allan. Coutinho marcou o terceiro, de pênalti, e ainda acertou a trave de López antes de todo mundo ir ao vestiário para descansar um pouco.

O segundo tempo foi mais parecido com um jogo treino. No primeiro minuto, Fernandinho lançou para Richarlison. Dentro da área, o jogador do Everton teve espaço para ajeitar de cabeça para Gabriel Jesus, completamente livre para a esquerda. O goleiro López decidiu facilitar ainda mais a situação saindo do gol na hora errada, e Jesus empurrou às redes vazias.

David Neres anotou o quinto, seu primeiro com a camisa da seleção, com muita classe. Recebeu de Filipe Luis na intermediária e passou pelo seu marcador sem fazer muito mais do que correr. Na hora de decidir a jogada, López, novamente, deu a dica ao abrir o canto direito para a finalização do jogador do Ajax.

O clima de churrasco continuou, com Firmino ganhando a dividida muito facilmente na entrada da área, antes de tocar com categoria por cima de López. Quase andando, Everton cruzou rasteiro para Richarlison fechar o placar. O Brasil estreia contra a Bolívia, na próxima sexta-feira. Desta vez, a sério.

.

.

.

.

.

.

.