Antes de se lesionar em dezembro do ano passado, Memphis Depay vinha em ótima fase no Lyon. O time não ia bem, mas o neerlandês se destacava, chegando a ganhar a braçadeira de capitão do técnico Rudi Garcia. Por essas circunstâncias, foi especialmente difícil para o jogador ser forçado a se afastar, e ele revelou, em uma transmissão ao vivo no Instagram nesta quinta-feira (23), que tentava até mesmo não assistir às grandes partidas do Lyon após sua lesão.

A fatídica contusão de Depay aconteceu mais especificamente em 15 de dezembro, durante a derrota em casa do Lyon para o Rennes por 1 a 0. Um jogo especialmente terrível para os Gones, que perderam ainda Jeff Reine-Adelaïde, outro jogador importante àquela altura da temporada, pela mesma lesão.

“Quando aconteceu, eu vinha sendo produtivo, estava marcando gols na Champions League, estava me tornando cada vez mais importante, o técnico havia me nomeado capitão. Eu me sentia responsável. Eu não podia acreditar, doeu. Tentei continuar jogando por 20 minutos, o que foi uma loucura, até mesmo perigoso, mas não sabia o que estava acontecendo comigo. Quando recebi os resultados (do exame), foi difícil”, relembrou Depay.

Falando especificamente sobre o confronto de ida das oitavas de final da Champions League contra a Juventus, vencido pelos lyonnais por 1 a 0, o atacante afirmou que foi duro ficar de fora. Revelou até mesmo sua tentativa frustrada de ignorar o jogo.

“Os melhores jogadores inspiram os jovens. É difícil perder este tipo de grande partida. Eu assisti ao jogo em Dubai (onde se recuperava), mas não queria ver futebol. Eu sabia que ia ser difícil. Eu tentei não assistir, isso estava me assombrando. Aqui estamos nós, cinco meses depois, em uma situação diferente. Talvez eu possa jogar a partida de volta. Mas foi difícil”, comentou.

A situação de fato mudou muito. À época, a séria lesão de ligamento cruzado anterior do joelho significou duas notícias terríveis ao neerlandês: ele perderia não só o restante da temporada europeia como também a Eurocopa deste ano. No entanto, devido à pandemia de Coronavírus, que parou o futebol em todo o mundo, Depay poderá ter ainda um papel nesta campanha do OL, assim como na competição de seleções, agora marcada para 2021. O atacante garante estar bem e em fase final de recuperação.

Questionado se a lesão havia diminuído suas capacidades físicas, garantiu: “Não, eu já fiz meus testes de velocidade e tenho os mesmos resultados de antes”.

Em condições normais, Depay possivelmente estaria próximo de retornar aos treinos com os companheiros ou até mesmo já liberado para os trabalhos com bola. No entanto, a situação de isolamento social significa que sua preparação tem sido à distância, e ele diz sentir saudade de seus amigos.

“Sinto falta dos caras do Lyon. Não estou com eles, faz um mês que não os vejo. Não deve ser fácil para eles também (a situação atual).”

Ao retornar aos gramados, Depay terá como principal missão encontrar a boa forma que vivia antes de sua lesão. Em apenas 18 jogos na temporada, entre Champions League e Ligue 1, havia marcado 14 gols. Na Liga dos Campeões, especificamente, sua média era excelente: um gol por jogo, tendo anotado cinco em cinco partidas.