Mario Götze possivelmente será um talento que nunca alcançará o seu maior potencial. O que o garoto fazia em suas primeiras temporadas com o Borussia Dortmund, protagonizando os aurinegros rumo ao bicampeonato alemão e à final da Liga dos Campeões, ficou na história. E ainda mais o seu gol decisivo na Copa do Mundo de 2014, garantindo o tetracampeonato à Alemanha. Todavia, a falta de impacto na sequência de sua carreira no Bayern de Munique e os recorrentes problemas físicos minaram o seu desenvolvimento. O esperado auge nunca veio. Nos últimos meses, a luta se concentrou em retornar a um nível satisfatório para jogar a Bundesliga, após serem descobertos distúrbios metabólicos no meia.

E não são apenas as lembranças que causam o lamento sobre aquilo que se perdeu. Nesta semana, Nuri Sahin relembrou como foi o seu primeiro encontro com Götze. O garoto de 16 anos havia sido chamado para treinar com a equipe principal do Borussia Dortmund e simplesmente espantou a todos. Ficou claro a Jürgen Klopp e aos seus comandados que ali estava um craque desabrochando.

“Em seu primeiro treino – e me lembro muito bem, porque estava ao lado de Jürgen Klopp – nós jogamos quatro contra quatro. O garoto não se envolveu em uma única dividida, mas também não perdeu a bola e seu time sempre venceu. Eu disse a Jürgen: ‘Chefe, o que é isso? Nunca vi nada assim antes’. Fiquei espantado apenas com quatro jogadores na minha carreira: Götze, Reus, Di María e Marcelo. O talento deles me fazia dizer ‘uau’ desde o primeiro momento”, declarou Sahin, hoje no Werder Bremen, à Eurosport.

Além disso, o meio-campista disse acreditar que Götze ainda retornará à sua melhor forma algum dia, apesar dos problemas de saúde: “Eu sei que mais jornais são vendidos quando Mario está na primeira página, mas vocês precisam parar de falar sobre ele, porque não faz bem à sua sequência. Vocês deveriam deixá-lo sozinho. Se Mario apresentar seu currículo a qualquer crítico, ninguém pode falar nada. Desculpem-me, mas isso é um fato. Mario tem 26 anos e olha o que ele já fez, é inacreditável!”.

Embora tenha controlado seus distúrbios metabólicos, que poderiam até mesmo significar o fim de sua carreira, Götze ainda tem dificuldades para lidar com o peso e apresentar a melhor forma. Nesta temporada, ele ainda não entrou em campo na Bundesliga. Disputou uma hora de jogo na Copa da Alemanha e mais uma na Liga dos Campeões. Com a ascensão de outros garotos no Signal Iduna Park e a utilização de Marco Reus centralizado, seu espaço se torna mais difícil. Talvez o próximo passo em sua carreira seja mesmo admitir aquilo que não aconteceu e recomeçar em um clube com pretensões menores. Uma pena, por todos os sonhos que provocou e realizou.