Dirigentes da federação chilena de futebol revelaram que pensam em lançar candidatura para que o país sedie a Copa do Mundo de 2026, junto a outra nação do continente. A afirmação foi dada em Moscou, na Rússia, onde o Chile disputa a Copa das Confederações. O problema é que vai de encontro ao que a Conmebol planeja. A entidade já afirmou que apoia a ideia da Copa 2030 na América do Sul. Já houve rumores que Argentina e Uruguai poderiam sediar o torneio em conjunto.

LEIA MAIS: Malvinas na Conmebol? Dirigente do San Lorenzo pediu, ao menos na nova logomarca

“Nós iremos considerar a possibilidade de fazer isso junto com outros países, pode ser com dois ou três países”, declarou Arturo Salah, presidente da Federación de Fútbol de Chile, FFCH. “Nós teremos que ver. O preíodo de candidatura está aberto. Nós temos que ver se há alguma possibilidade de parceria com algum dos nossos vizinhos e ver se podemos nos candidatar”, disse ainda o dirigente.

O que surpreende é que a ideia seja se candidatar para 2026. Depois da Rússia em 2018 e do Catar em 2022, há uma grande expectativa que a Copa 2026 seja na América do Norte, em uma candidatura conjunta de Estados Unidos, Canadá e México. Outros candidatos ainda são especulados, o que pode incluir a Austrália, candidata a 2022. Concorrer em 2026 parece algo muito difícil para o Chile, especialmente quando a ideia da própria Conmebol é outra.

Curiosamente, foi justamente em Santiago, no Chile, que Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, falou sobre a intenção de ter uma Copa do Mundo no continente em 2030. Em abril deste ano, na abertura do 67º Congresso Ordinário da Conmebol, o dirigente falou sobre a ideia. “É o ano do centenário da Coopa do Mundo e a Conmebol quer que o Mundial de 2030 seja na América do Sul”. Gianni Infantino, presidente da Fifa, estava presente ao evento. “Se começa por uma ideia”.

Por isso, causa estranhamento pensar que os dirigentes chilenos pensem na Copa de 2030. Em março de 2016, o Uruguai, sede da histórica primeira Copa do Mundo em 1930, declarou que se interessa em sediar a Copa de 2030. Aproveitou, na época, uma visita do presidente então recém-eleito da Fifa, Gianni Infantino, para manifestar interesse no evento. Em outubro de 2016, Argentina e Uruguai manifestaram a intenção de sediarem, juntos, o torneio.

Então, qual será a intenção do Chile com essa declaração de sediar a Copa em 2026? A Fifa tem adotado uma ideia de não colocar a Copa no mesmo continente em sequência. Por isso, se o Chile conseguisse sediar em 2026, Argentina e Uruguai não poderiam sediar 2030. Talvez a ideia do Chile seja chamar a atenção para ser um terceiro país a sediar a Copa de 2030, o que não é nenhum absurdo se pensarmos que a Fifa inchou a Copa para 48 seleções. É possível que os três países recebam o torneio.