Há cerca de três meses, David Luiz fazia juras de amor ao Chelsea. O zagueiro havia renovado o seu contrato por mais duas temporadas e proclamava sua felicidade em permanecer nos Blues. Por isso mesmo, os desdobramentos deste fim de janela na Premier League se tornam mais impactantes. De uma hora para outra, o brasileiro decidiu que não desejava mais ficar em Stamford Bridge. Segundo a imprensa inglesa, passou a forçar a sua saída para se juntar a um rival. Nas últimas horas de mercado, o negócio foi arrematado: o defensor chamará o Arsenal de seu povo e tentará dar alegrias aos Gunners, com vínculo até 2021.

As mudanças internas do Chelsea influenciaram a escolha de David Luiz. O zagueiro viveu uma temporada positiva sob as ordens Maurizio Sarri, ao retomar sua importância na linha defensiva. Após cair em desgraça com Antonio Conte, o brasileiro recebeu uma chance do novo treinador e a aproveitou. Foi titular absoluto ao longo da Premier League, teve boas atuações e contribuiu na conquista da Liga Europa. O problema ocorreu no vácuo posterior, diante da chegada de Frank Lampard. Por mais que a relação com o antigo companheiro fosse boa, o clima azedou ao longo da última semana.

Conforme relato do Telegraph, David Luiz e Lampard tiveram conversas positivas durante o início da pré-temporada, com o zagueiro assumindo suas responsabilidades como vice-capitão. O ponto de virada aconteceu após o amistoso contra o Red Bull Salzburg, no qual o brasileiro não se saiu bem. O novo técnico passou a indicar sua preferência por Kurt Zouma e Andreas Christensen como titulares para a estreia na Premier League, o que desagradou o veterano. Reserva no último jogo preparatório, contra o Borussia Mönchengladbach, David Luiz teve reações mal vistas internamente, na tentativa de forçar a sua saída. Diante do clima ruim, Lampard afastou-o do elenco. Em compensação, terá que arcar com as consequências e lidar com as poucas alternativas no setor.

O Arsenal, por sua vez, precisava reforçar a sua zaga. A saída igualmente intempestiva de Laurent Koscielny deixou uma lacuna e o clube voltou ainda mais os seus olhares a um setor defasado durante as últimas temporadas. Unai Emery desembolsou €30 milhões por William Saliba, promessa de 18 anos que vinha ganhando sequência no Saint-Étienne. Contudo, o adolescente não deve ser colocado na fogueira. Era necessário buscar mais experiência. Daniele Rugani parecia o alvo favorito, mas o negócio com a Juventus não se concretizou. Foi então que David Luiz apareceu no caminho dos Gunners.

Dentro das perspectivas, em que o time poderia muito bem terminar com as mãos abanando, o brasileiro não seria uma opção ruim. A presença de Edu Gaspar como novo diretor técnico do Arsenal facilitou os trâmites, segundo o Telegraph. Kia Joorabchian, que participou das negociações para o retorno do dirigente a Londres, também possui relação com David Luiz e é sócio do defensor em um restaurante. Os laços nos bastidores acabaram ajudando o veterano a descolar um contrato rapidamente e ser repassado ao novo time antes do fechamento da janela.

“É um ótimo sentimento chegar ao Arsenal. É um novo ciclo na minha vida, na minha carreira como jogador. Estou empolgado em jogar por este grande clube. Cresci assistindo a muitos jogos do Arsenal, especialmente os grandes jogadores do passado. Então, estou feliz em tentar ajudar este clube a fazer grandes coisas”, declarou David Luiz, em sua primeira entrevista. “Meu ciclo no Chelsea terminou. Tive uma conversa com todos. Tinha a chance de vir a outro grande time. Na minha vida, sempre gostei de desafios. Não tenho medo de tentar coisas novas. Acho que não são muitos jogadores que fariam esta transferência, talvez ficassem receosos. Estou tentando fazer grandes coisas na minha vida”.

Aos 32 anos, David Luiz chega a um preço módico ao Arsenal, mesmo com o contrato renovado recentemente. O Chelsea receberá €8,7 milhões pelo negócio, uma quantia abaixo do valor de mercado do defensor, mas que se explica pela vontade do veterano em sair. Além do mais, os Gunners agregam um atleta com inegável experiência na Premier League, que logo deverá se transformar em uma liderança no Estádio Emirates. Seu estilo de jogo pode se casar com aquilo que prega Unai Emery, especialmente pelo controle da posse e pela qualidade no passe. Tecnicamente, não há muitos questionamentos sobre as virtudes do brasileiro.

O entrave se concentra sobre a confiabilidade de David Luiz. Os erros do defensor são um tanto quanto frequentes, especialmente por seus lapsos táticos e seus desleixos no posicionamento. O Arsenal também pode se expor a isso. E a questão se torna um pouco mais crítica quando se considera que a segurança realmente não é o forte no miolo de zaga dos londrinos, com Shkodran Mustafi, Sokratis Papastathopoulos e as demais companhias recebendo críticas constantes por suas falhas. David Luiz pode ajudar o time, mas o receio de um fracasso na transação é evidente.

A favor de David Luiz, está a maneira como o brasileiro se deu bem nas últimas mudanças de sua carreira. O retorno ao Chelsea parecia incompreensível, diante do que se via no Paris Saint-Germain. Pois o zagueiro recuperou a melhor forma e contribuiu decisivamente à primeira temporada de Conte, conquistando o título inglês. Depois, ocorreu o já mencionado sucesso sob as ordens de Sarri. Tanto quanto a concentração, a motivação parece ser decisiva nos passos do veterano. E, ao que tudo indica, o Arsenal era mesmo o clube onde gostaria de estar nesse momento. Caberá a Unai Emery trabalhar este elemento.

“Unai Emery teve uma grande participação em minha transferência. Eu o conheço e conheço algumas pessoas do clube. Conheço o Edu, conheço o Raul [Sanllehi, chefe executivo do Arsenal], conheço a qualidade do time, os jogadores e é isso que me empolga a sonhar, a ter ambição, a ganhar grandes coisas. Acho que em toda a minha vida, sempre comecei a temporada com o objetivo de vencer títulos. Não será diferente aqui – trarei essa mentalidade, porque foi isso que me fez mudar para cá. É o que me faz me sentir bem a cada dia. Tenho que correr por uma razão, por um objetivo, e meu objetivo é ganhar com o Arsenal”, apontou David Luiz.

A proteção ao zagueiro e a cobertura às suas subidas tornam-se pautas na tática do Arsenal daqui pra frente. Em contrapartida, há armas que ele adiciona, sobretudo em seus lançamentos e na participação durante as bolas paradas. É uma faca de dois gumes, que ainda não parece cobrir todas as necessidades dos Gunners. Contudo, como uma solução temporária, é válida diante das urgências. Não é o nome dos sonhos de muitos torcedores, mas os riscos foram assumidos.

E, no balanço geral, a chegada de David Luiz parece um detalhe no que foi uma janela bastante ativa do Arsenal. Nicolas Pépé e Dani Ceballos acrescentam muita qualidade ao elenco e já chegam com moral para ocupar o 11 inicial. Outra novidade deste fechamento, Kieran Tierney se sobressaiu no Celtic e justifica o investimento de €27 milhões em sua contratação para a lateral esquerda. Ainda há Gabriel Martinelli, revelação do Ituano que teve seu destaque na pré-temporada. No entanto, mesmo na teoria, os Gunners possuem um elenco inferior ao da maioria de seus concorrentes diretos na Premier League. E onde mais se aguardava um reforço, na defesa, David Luiz por ora não representa tudo. O brasileiro, assim como o restante da equipe, precisará passar outra impressão na prática. Ficam as reticências.