A espera dos europeus, enfim, terminou. Holanda e Itália são as duas primeiras seleções do continente confirmadas na Copa do Mundo de 2014. E a situação das Eliminatórias no continente já está bastante encaminhada, restando apenas duas rodadas para o fim da fase de grupos. Alemanha, Espanha, Bélgica e Suíça só dependem de si para ir ao Mundial, enquanto Inglaterra, Rússia e Bósnia são os favoritos em chaves bastante parelhas. Confira a situação de cada um de todas as seleções:

Já compraram passagem ao Brasil

– Grupo D: Holanda garantida; Hungria, Romênia e Turquia por repescagem

Sob a luz de Robin van Persie, os holandeses bateram Andorra por 2 a 0 e confirmaram a classificação que parecia mais do que óbvia. Interessante será a briga pela vaga à repescagem na chave. A Turquia conseguiu um triunfo imprescindível em Bucareste, batendo a Romênia por 2 a 0, enquanto a Hungria goleou a Estônia por 5 a 1 e conquistou gols valiosos para seu saldo. Os húngaros aparecem na segunda colocação, com 14 pontos, um a mais do que turcos e romenos. Nas rodadas finais, não há confrontos diretos, mas a Romênia se beneficia por não ter mais a Holanda pela frente.

– Grupo B: Itália garantida; Bulgária, Dinamarca, República Tcheca e Armênia por repescagem

Italy Czech Republic WCup Soccer Buffon

A seleção italiana era a única europeia que só dependia de si para se garantir no Mundial. E a confirmação veio, com um pouco de sofrimento, na virada por 2 a 1 sobre a República Tcheca. Na briga pelo segundo lugar, búlgaros e dinamarqueses são os candidatos mais fortes, embora tchecos e armênios continuem com chances. Com 13 pontos, a Bulgária fez o esperado ao bater Malta, enquanto que a Dinamarca conseguiu a revanche ao bater a Armênia em Yerevan. Os búlgaros, que visitam os armênios e recebem os tchecos, surgem como favoritos.

Mandaram reservar as passagem ao Brasil

– Grupo C: Alemanha próxima; Suécia na perseguição; Áustria e Irlanda por repescagem

Uma vitória contra a Irlanda em Colônia, na próxima rodada, e a Alemanha terá o passaporte carimbado. A vaga poderia ter saído hoje, mas faltou a colaboração dos concorrentes. O Nationalelf venceu com tranquilidade as Ilhas Faroe por 3 a 0, enquanto a Suécia bateu o Cazaquistão por 1 a 0, o que manteve a vantagem de cinco pontos dos germânicos. E é bom que os alemães façam sua parte contra os islandeses: no último jogo, os próprios escandinavos são os adversários, em Solna. A Áustria, três pontos atrás dos suecos, ainda sonha com a repescagem, mas também terá que superar a pedreira fora de casa na próxima rodada.

– Grupo I: Espanha próxima; França na perseguição

Belrus France WCup Soccer

A tabela pode até indicar um equilíbrio, mas não se engane: a Espanha só não vai à Copa se não quiser. Somente a França está no páreo, com os mesmos 14 pontos da Fúria, mas um jogo a mais. Tendo Belarus e Geórgia pela frente, em dois jogos em casa, é de se esperar que os atuais campeões do mundo fiquem com a vaga direta ao Mundial. E os Bleus ainda podem ficar felizes de estarem fadados à repescagem, pois poderia ser pior. Os franceses tomaram sufoco contra Belarus, mas viraram o jogo por 4 a 2 e se garantiram ao menos em segundo.

– Grupo A: Bélgica próxima; Croácia na perseguição

A ‘promissora geração belga’ folgou na rodada e está a um passo da Copa do Mundo. Os Diabos Vermelhos lideram a chave com cinco pontos de vantagem para a Croácia, única seleção viva na disputa. Na próxima rodada, as duas equipes se enfrentam em Zagreb e um empate basta à Bélgica. E, mesmo se perder, o adversário do time de Marc Wilmots no último jogo será o lanterna Gales, em Bruxelas. Caso não consigam a virada na tabela, os croatas vão à repescagem.

– Grupo E: Suíça próxima; Islândia e Eslovênia na perseguição; Noruega e Albânia por repescagem

Os suíços dependiam de uma combinação de resultados para assegurar a vaga na Copa, o que não aconteceu hoje, mesmo com a vitória por 2 a 0 sobre a Noruega. Porém, não há motivos para soar o alarme. Com cinco pontos de vantagem, o país avança com dois empates ou uma vitória sobre Albânia e Eslovênia nos últimos compromissos. Na briga pela segunda colocação, quatro seleções ainda sonham. A Islândia conquistou um triunfo fundamental sobre a Albânia e soma 13 pontos, um a mais que a Eslovênia, que comemorou a vitória sobre o Chipre. Com 11 e 10 pontos, respectivamente, noruegueses e albaneses correm por fora.

Entraram no site para ver os preços da passagem ao Brasil

– Grupo H: Inglaterra líder; Ucrânia, Montenegro e Polônia no páreo

Ukraine England WCup Soccer

Os ingleses são seguidos de perto na liderança do grupo, mas não podem reclamar da sorte. Se ainda estão no topo da tabela, é graças ao empate por 0 a 0 arrancado em um difícil jogo contra a Ucrânia em Kiev. Os ucranianos, porém, aparecem um ponto atrás, assim como Montenegro. E a Polônia, que confirmou a esperada goleada contra San Marino, tem três a menos. Os Three Lions têm o conforto de pegar montenegrinos e poloneses em casa, mas não podem cochilar. Afinal, a Ucrânia também enfrenta a Polônia em casa e fecha a campanha contra o saco de pancadas San Marino.

– Grupo F: Rússia líder; Portugal no páreo; Israel por repescagem

Portugal bem que secou, mas a Rússia se impôs contra Israel e assumiu a ponta do grupo, com um ponto a mais que os lusos. E, mesmo que jogue as duas últimas fora de casa, os russos só têm molezas pela frente, encarando Luxemburgo e Azerbaijão. Por mais que cumpra o dever de casa ante israelenses e luxemburgueses, dificilmente a Seleção das Quinas escapa da repescagem.

– Grupo G: Bósnia líder; Grécia no páreo

Depois da enorme bobeada na sexta-feira, derrotados pela Eslováquia em casa, os bósnios se recuperaram ao vencerem os mesmos adversários em Bratislava, por 2 a 1. O suficiente para manter a equipe na primeira posição, mas sem apagar o deslize que evitou a classificação à Copa por antecipação. Com o drama tradicional, a Grécia superou a Letônia por 1 a 0 e divide a liderança com 19 pontos. Os gregos fazem suas duas últimas partidas em casa, mas os bósnios pegam rivais mais fracos. O palpite aponta para uma decisão pela vaga direta no saldo de gols, que é muito mais favorável aos balcânicos.