Puniu: Flu abusa dos erros e cede empate ao Huachipato

Fred voltou a marcar pelo clube, mas não evitou novo tropeço dos tricolores diante das arquibancadas vazias do Engenhão

Depois da goleada do Grêmio sobre o Caracas, a sina dos mandantes no Grupo 8 da Libertadores voltou a imperar. O Fluminense abusou dos gols perdidos e pagou caro por isso, sofrendo o segundo tropeço em casa no torneio. Os tricolores tinham tudo para sair com a vitória, mas cederam o empate por 1 a 1 ao Huachipato, para a infelicidade do baixo público presente no Engenhão – pouco mais de 13 mil torcedores.

O resultado devolve a liderança da chave ao Flu, mas coloca em risco sua posição. Com uma partida a mais, os cariocas somam sete pontos, um a mais que o Grêmio. Já os chilenos ultrapassam o Caracas e aparecem em terceiro, com quatro pontos.

O primeiro tempo foi de um time só. O Fluminense finalizou 11 vezes nos 45 minutos iniciais, mas foi para o intervalo com apenas um gol de vantagem. Foram várias chances desperdiçadas pelos tricolores, a principal com Jean, que acertou o lado de fora da rede mesmo com o caminho aberto. Justiça seja feita, o goleiro Nery Veloso também fez boas intervenções, principalmente nas tentativas de Thiago Neves.

Contudo, uma lambança de Veloso acabou valendo o gol do Flu, aos 30 minutos. O goleiro furou um chute, se recuperou dando um chapéu em Deco e voltou a se complicar ao perder a bola. Com o caminho livre, Deco só foi parado com pênalti. E Fred se reconciliou com as redes ao converter a cobrança.

No segundo tempo, o Tricolor era menos intenso no ataque, embora continuasse criando as melhores oportunidades. Porém, em um desleixo da defesa adversária, o Huachipato chegou ao empate. Após falta cobrada na meia-lua, Arrué fez grande jogada pelo lado direito da área e cruzou. Gum afastou na pequena área, mas Núñez não perdoou na sobra.

O susto voltou a empurrar o Fluminense ao ataque. Em grande oportunidade, Fred parou em milagre de Veloso. Os chilenos quase chegaram à virada, com Diego Cavalieri desviando com a ponta dos dedos o chute de Braian Rodríguez. E os tricolores continuaram batendo na parede formada pelo Huachipato até o fim do jogo. Na saída de campo, vaias e gritos de “vergonha” aos anfitriões.