O Hajduk Split possui uma das torcidas mais fantásticas da Europa. O grupo de ultras do clube croata é o mais antigo do continente, e com influência brasileira: a ‘Torcida’ surgiu em 1950, inspirada pela maneira como se torceu Copa do Mundo daquele ano. As imagens do Mundial do Brasil eram exibidas nos cinemas iugoslavos e entraram no imaginário local. No entanto, apesar da motivação inicial, os organizados do Hajduk seguem a linha de fanatismo tão comum no Leste Europeu, iluminada por muita pirotecnia.

Lá, como cá, as autoridades possuem a mesma mania de procurar pelo em ovo. Por causa do uso frequente de sinalizadores, a federação croata puniu o Hajduk Split com o fechamento do setor norte de seu estádio, local tradicionalmente ocupado pela Torcida. Isso, obviamente, não afastou os ultras das arquibancadas. Neste domingo, durante a vitória por 2 a 0 sobre o Inter Zapresic, eles realizaram um protesto bastante simbólico contra a pena: levaram flores, arremessadas na pista de atletismo ao redor do campo. Também ergueram uma faixa com a mensagem ‘Flores do mal?’, em clara referência à maneira como a pirotecnia costuma ser demonizada no futebol – com raríssimas exceções, quase sempre sem razão. Criatividade e inteligência a serviço de um debate mais do que necessário.

hajduk haj