O domingo de manhã com Newcastle e Brighton comentado por Rafael Oliveira, o time dos sonhos montado no seu modo carreira do Fifa, a proximidade com os ídolos por meio de posts e stories no Instagram. O futebol moderno nos proporcionou várias coisas boas, e uma delas certamente é o retorno de chuteiras clássicas por parte das fornecedoras. Elas vão lucrar com um produto supervalorizado? Vão. Eu sou contra a mais-valia em cima dos operários que produzirão as chuteiras? Sou. Mas não tem como não exaltar a reedição da Puma King, agora chamada nessa versão de Puma King Platinum.

A Puma juntou-se a ninguém menos que Thierry Henry para recriar a icônica chuteira preta, trazendo agora melhorias tecnológicas modernas para o desempenho. Em sua trajetória, o modelo, lançado em 1968, carrega a história de jogadores como Pelé, Diego Maradona, Eusébio e Johan Cruyff.

Atletas da Puma como Marco Reus e Sergio Agüero não vão exatamente se tornar essas estrelas se usarem a Puma King Platinum, mas certamente ganharão muitos aplausos de quem acha que chuteira preta é MORALIZADORA – por favor, evite o termo, sério, a gente ainda quer gostar de chuteiras pretas.