Christian Pulisic completará 19 anos apenas em setembro, mas a tarimba do garoto impressiona mais e mais. Depois de uma ótima temporada com o Borussia Dortmund, o meio-campista voltou aos Estados Unidos para aproximar a sua seleção da Copa do Mundo. Nesta quinta, o prodígio teve uma atuação decisiva, valendo três pontos no hexagonal final das Eliminatórias na Concacaf. Balançou as redes duas vezes em Denver, assinalando a vitória por 2 a 0 sobre Trinidad & Tobago. São sete gols em 15 partidas pelo US Team, excelente média, incluindo cinco destes tentos no qualificatório ao Mundial.

Atuando em uma posição mais centralizada que de costume, Pulisic resolveu no segundo tempo. Primeiro, com oportunismo, ao desviar o cruzamento de DeAndre Yedlin. Depois, ao criar toda a jogada para ampliar a diferença. Arrancou do campo de defesa, passou para Jozy Altidore e se projetou por trás da defesa para receber de volta, tocando na saída do goleiro. Tento que ressalta bem a capacidade do garoto, tanto pela inteligência quanto pela qualidade técnica. Já um grande nome dos americanos rumo à Rússia, após ter orquestrado o time nos 6 a 0 sobre Honduras, com um gol e duas assistências.

Depois de um início ruim, os EUA somam sete pontos no hexagonal decisivo, ocupando a terceira colocação. Estão na zona de classificação direta ao Mundial. A liderança é do México, com 13 pontos, após golear Honduras por 3 a 0. Oswaldo Alanís, Hirving Lozano e Raúl Jiménez anotaram os gols – Lozano, aliás, saiu muito bem do banco e reafirma sua condição como um dos melhores jogadores mexicanos em atividade, aos 21 anos. Logo atrás na tabela de classificação, aparece a Costa Rica, que empatou em casa por 0 a 0 com o Panamá e soma oito pontos. Os panamenhos surgem na zona da repescagem, em quatro, com seis pontos. Por fim, os hondurenhos têm quatro pontos e os trinitinos, três.