O caso de racismo contra Neymar neste final de semana exige uma postura dura das autoridades francesas e medidas enérgicas para punir o responsável, se comprovada a agressão. Para tanto, o Paris Saint-Germain também se coloca em um papel central para pressionar os dirigentes e buscar o exemplo de ações sérias contra esta praga discriminatória que ocorre em diversas ligas profissionais pela Europa. Por isso mesmo, era importante que o clube se posicionasse institucionalmente, em apoio ao brasileiro e em repúdio ao racismo.

Nesta segunda-feira, o PSG emitiu uma nota oficial. O conteúdo é mais brando do que poderia ser, mas se faz necessário para reafirmar valores e cobrar ação. O episódio necessita, no mínimo, de uma investigação séria e de uma punição correspondente à gravidade do que ocorreu. Não tem como passar o pano numa discriminação ocorrida contra o principal jogador da Ligue 1 e no maior clássico do país, com um histórico de violência entre os torcedores. O próprio silêncio das autoridades do futebol francês nas horas posteriores ao jogo é questionável. A Ligue 1 deveria servir de exemplo, pelo próprio contexto plural do futebol francês, reflexo da sociedade local.

Abaixo, a nota do PSG:

O Paris Saint-Germain apoia fortemente Neymar Jr, que disse ter sido vítima de insultos racistas de um jogador adversário

O Clube lembra que não há espaço para o racismo na sociedade, no futebol ou em nossas vidas e conclama todos a se elevarem contra todas as suas manifestações pelo mundo.

Há mais de 15 anos, o Clube está fortemente empenhado na luta contra todas as formas de discriminação ao lado dos seus parceiros como SOS Racisme, Licra ou Sportitude.

O Paris Saint-Germain conta com a Comissão Disciplinar da LFP para investigar e lançar luz sobre estes fatos. O Clube está à sua disposição para colaborar no andamento das investigações.