No primeiro turno do Campeonato Francês, coubera ao Strasbourg ser o clube a ter acabado com a invencibilidade do Paris Saint-Germain, com a vitória por 2 a 1, na 16ª rodada. E neste sábado – quando tudo de que o PSG não precisava era mais uma derrota, com a pressão gigante após a queda para o Real Madrid na Liga dos Campeões -, o mesmo Strasbourg assustou o líder da Ligue 1, saindo na frente do placar. Pelo menos, os talentos técnicos da equipe parisiense conseguiram evitar que as desconfianças ficassem ainda maiores, levando o time à goleada por 5 a 2 e mantendo a já tranquila situação na liga francesa.

Situação que já sofreu solavancos logo no começo do jogo. Com cinco minutos de bola rolando, o Strasbourg fez 1 a 0: após roubada de bola no meio-campo, Kenny Lala recebeu a bola pela direita para o cruzamento, e Jean-Eudes Aholou completou na área, no canto esquerdo de Alphonse Aréola. Poderia ter ficado ainda pior aos sete minutos: Dimitri Liénard bateu cruzado de fora da área, e Alphonse Aréola defendeu.

Trocando passes para tentar vencer a defesa fechada do time de Estrasburgo, só um erro poderia ajudar o time parisiense. Ajudou: aos 11 minutos, Neymar tentou mandar a bola a Layvin Kurzawa, em profundidade. Na defesa, Lala interceptou o passe, mas não conseguiu dominar a bola. E involuntariamente, deixou-a à feição para o chute cruzado de Julian Draxler, que fez 1 a 1.

E ainda no primeiro tempo, bastaram duas jogadas em um minuto para que a vitória se encaminhasse definitivamente. Aos 22 minutos, Giovani Lo Celso lançou Neymar. Na área, o brasileiro dominou a bola já passando pelo goleiro Alexandre Oukidja. Na pequena área, o camisa 10 do PSG ainda se livrou da marcação de Bakary Koné e Pablo Martínez, encobrindo ambos, para enfim virar o jogo com um toque de pé direito, na pequena área. Na saída de bola do Strasbourg, ela foi recuada a Martínez. Desatento, ele permitiu o desarme de Ángel di María, que tocou no canto direito de Oukidja para o 3 a 1.

Em vantagem, o PSG voltou a se impor e a criar chances – como aos 30 minutos, quando Neymar cruzou, Cavani cabeceou, e Oukidja defendeu. No segundo tempo, a tranquilidade continuou… até os 22 minutos. Após lançamento, Nuno da Costa dominou a bola frente a Presnel Kimpembe, tocou para o lado, e Stéphane Bahoken finalizou rasteiro, no canto direito de Aréola, para o segundo gol dos visitantes da Alsácia no Parque dos Príncipes.

Mas se houvesse qualquer dúvida da superioridade, ela acabou com o quarto gol do PSG, aos 28. Pela direita, Javier Pastore deixou Edinson Cavani livre na direita. O uruguaio entrou na área já dominando a bola, e finalizou para as redes. Finalmente, aos 34 minutos, um lançamento de Neymar, do meio-campo, possibilitou a Cavani encobrir Oukidja com sutileza, dar números finais à vitória e afastar os sustos e alertas. Pelo menos, por enquanto.