A proposta de US$ 25 bilhões feita à Fifa que incluía um novo Mundial de Clubes foi descartada, segundo fontes informaram à agência de notícias Associated Press. A ideia era apoiada pelo presidente da entidade, Gianni Infantino, mas causava resistência nas duas confederações mais pesadas, Uefa e Conmebol. A Fifa sugeriu nesta sexta que irá abrir um processo de licitação para a nova proposta de torneios internacionais, que inclui o Mundial de Clubes.

LEIA TAMBÉM: Com pinta de amistoso, Real Madrid goleia Al Ain para sagrar-se campeão mundial

 

A ideia da proposta bilionária era expandir o atual torneio de sete times para incluir 24, disputada de quatro em quatro anos e começando em 2021. A oferta veio de um grupo de investidores que não foi identificado, mas se sabia que eram da Ásia e do Oriente Médio. Segundo o New York Times, um dos investidores era o Soft Bank, do Japão. Os US$ 25 bilhões oferecidos incluíam o Mundial de Clubes e também uma espécie de Liga Mundial, nos moldes da Liga das Nações feita pela Uefa.

Uma reunião em Zurique, na Suíça, envolveu representantes de várias confederações e foi presidida por Victor Montagliani, canadense que preside a Concacaf. O presidente Gianni Infantino não esteve presente. “A Fifa parece estar aprendendo com seus erros”, afirmou uma fonte à AP. “Ela quer mostrar boa fé e colocar ênfase em uma distribuição mais equilibrada das receitas de um Mundial de Clubes expandido”.

Em comunicado enviado à agência Reuters, a Fifa negou que tenha recusado qualquer oferta e que ainda não tinha decidido qual seria o formato do novo torneio. “A Fifa não recusou nenhuma oferta e não concordou com um formato de competição ainda”, diz a resposta da entidade que dirige o futebol mundial. “Quando o formato da competição for acordado, a Fifa irá procurar o que o mercado tem a oferecer”.

A Uefa é quem mais forte tem se oposto à ideia de um Mundial de Clubes com 24 clubes a cada quatro anos. Na semana passada, a Uefa descreveu os planos da Fifa para o Mundial como “inaceitáveis como estão” e exigiu que “todas questões esportivas e comerciais relacionadas sejam divulgadas e discutidas entre as partes interessadas”.

As modificações no Mundial de Clubes devem ser discutidas na reunião do Conselho da Fifa, nos dias 14 e 15 de março, que será realizada em Miami. A Fifa estabeleceu uma força-tarefa para olhar os detalhes técnicos para novas competições, o que inclui formato, duração e datas. O relatório será apresentado na reunião do Conselho. Nada impede que a competição de 24 clubes seja novamente proposta, mas de uma outra forma. De qualquer jeito, a Fifa parece disposta a criar um Mundial de Clubes mais atraente, o que parece envolver necessariamente mais clubes europeus, especialmente.

Além do Mundial de Clubes, a proposta de uma Liga Mundial incluiria um torneio de oito seleções disputado a cada dois anos em um local pré-estabelecido. Na prática, significa uma mini Copa do Mundo. Isso exigiria mudanças no calendário internacional atual, que precisa lidar com muitas competições locais e evitar o conflito com torneios de clubes. Uefa e Clubes e são contrários a qualquer mudança no calendário internacional atual, que vai até 2024.

Parece que estamos muito longe de encontrar uma proposta que seja aceita por todos os envolvidos. E sem o devido apoio da Uefa e da Conmebol, o Mundial de Clubes expandido dificilmente será realizado. A Fifa tem um trabalho de tentar encontrar uma solução para uma competição que, de fato, não atrai tanta atenção quanto poderia por ser um torneio mundial. Resta saber como encontrar um caminho com tantos interesses diferentes em jogo.


Os comentários estão desativados.