Diversos craques sul-americanos tiveram na Libertadores seu primeiro palco internacional no futebol profissional. Com apenas 19 anos, Tevez brilhou na conquista do Boca Juniors contra o Santos, em 2004. Com a mesma idade, Neymar foi o craque do título do Alvinegro em 2011, diante do Peñarol. Aos 21 anos, o chileno Marcelo Salas era parte importante do time do River Plate que, em 1996, venceu a segunda Libertadores dos Millonarios.

ESPECIAL LIBERTADORES:
– Dez atletas com carimbo “Señor Libertadores” que você verá nesta edição
– Cinco peculiaridades que dificultam e tornam a Libertadores um torneio único
– Libertadores começa depois da Conmebol viver o caos, na política, na TV e na Justiça
– Um mapa para você viajar e conhecer a história de fundação dos 32 times da Libertadores

Com o início de mais uma edição da mais importante competição da América do Sul, é inevitável ficar com algumas expectativas de que em 2016 possamos ver algum futuro craque, que daqui a alguns anos destaque-se internacionalmente, nos dando uma pequena amostra do que vem pela frente. Pode ser que uns deles passem fora do radar, estourando em outro momento da carreira, mas reunimos dez jovens já bastante falados em seus países que, em 2016, terão a chance de mostrar na Libertadores um pouco do que são capazes.