Derrotada pela Argentina na estreia do Torneio Pré-Olímpico, a Colômbia se recuperou de maneira incontestável durante a segunda rodada do Grupo A, nesta terça. Os Cafeteros fizeram a festa de seus torcedores com a goleada por 4 a 0 sobre o Equador, no Estádio Centenário de Armênia. E o triunfo contou com uma atuação de gala do camisa 8 da equipe, o meia Jorge Carrascal. Não contente em anotar um gol espetacular, no qual demoliu a defesa equatoriana, o jovem ainda distribuiu duas assistências de muita categoria para comandar o triunfo.

Carrascal já tinha sido o responsável pelo único gol da Colômbia na estreia contra a Argentina. Acertou um belíssimo chute cruzado, mas sua equipe cedeu a virada por 2 a 1. Já nesta terça-feira, ninguém no Equador pôde barrar o camisa 8. Outra promessa cafetera, Nicolás Benedetti abriu a contagem após uma ótima troca de passes. Seria apenas uma prévia ao show de seu companheiro, que fez sua pintura logo na sequência, aos 26 minutos.

Foi um gol “maradoniano”, como descreveram (exageradamente) diferentes veículos de imprensa na Argentina e na Colômbia. Após uma roubada de bola, Carrascal partiu da intermediária e humilhou os defensores já dentro da área. Gingou diante do primeiro, deixou o segundo na saudade e, quando o goleiro tentava crescer à sua frente, o meia teve muita frieza: parou e só deu um toquinho no contrapé. Gol de quem sabe.

Carrascal ofereceu mais duas assistências na sequência da partida. A primeira foi requintada, com um toquinho por baixo da bola para encobrir os marcadores e deixar Edwuin Cetré de frente para o gol. O companheiro emendou o chute de primeira. Já no segundo tempo, o camisa 8 puxou três marcadores e deu um leve toque para Johan Carbonero, ao seu lado, resolver a parada. Noite de gala daquele apontado desde antes do torneio como uma das esperanças colombianas rumo às Olimpíadas.

Aos 21 anos, Carrascal possui uma carreira razoavelmente rodada. Badalado nas seleções de base, foi formado pelo Millonarios, antes de passar por Sevilla B e Karpaty Lviv. Já no início de 2019, a rede de olheiros do River Plate mais uma vez funcionou e acertou o empréstimo do colombiano. O armador não ganhou muitas chances durante o primeiro semestre do ano passado, mas virou opção no Campeonato Argentino durante a reta final da Libertadores e ganhou minutos em campo. Contratado em definitivo por €2,5 milhões, é mais uma pérola nas mãos de Marcelo Gallardo. E, no Pré-Olímpico, pede espaço ao treinador em Núñez.