O Primeiro Ministro da Itália, Giuseppe Conte, não gostou da ideia de alguns clubes italianos pedirem para a liberação de poucos torcedores nos estádios para o começo da temporada da Serie A. Para o político, ter público nos jogos torna a aglomeração inevitável e é, por isso, “inoportuno”. A Itália tem restringido a volta de diversas atividades com o aumento do número de casos da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Há cada vez mais pedidos para que sejam liberados 1.000 torcedores nos estádios, ainda mais depois de Napoli, Parma e Sampdoria terem feito amistosos de pré-temporada com números similares de público. Os torcedores foram obrigados a usar máscaras e também havia a ideia de manter certo distanciamento social. A Juventus foi uma das que pediu, junto com a Assembleia de Piemonte, que sejam liberados ao menos alguns torcedores para o jogo de estreia contra a Sampdoria, na Serie A.

“No que me diz respeito, a presença no estádio ou em qualquer outro grande evento onde o contato é inevitável, não apenas no evento, mas nas entradas e saídas, é absolutamente inoportuno”, declarou Giuseppe Conte. A preocupação das autoridades é com o aumento do número de casos. Nas últimas 24h, 1.733 novos casos positivos foram registrados no país, além de 11 mortes. Além disso, 102 pessoas foram internadas com os sintomas.

Muitos dos novos casos detectados são assintomáticos e estão sendo isolados em casa para evitar o contágio. Os sintomas entre os infectados têm se mostrado mais fracos do que há alguns meses. Atualmente, há 1.607 pessoas internadas com a COVID-19 na Itália, mas apenas 121 delas estão na UTI.

Apesar do cenário ser menos assustador do que há alguns meses, o Comitê Técnico Científico (CTS) do país não deve liberar público para os primeiros jogos da Serie A, como pedem os clubes. “A CTS considera que no estado atual das coisas, não há condições para permitir grandes eventos com público e a preocupação é também de não sobrecarregar o sistema de saúde com diferentes fatores de risco”, afirmou Silvio Brusaferro, presidente da Instituto Superior de Saúde da Itália, em entrevista ao jornal Corriere dela Sera.

As escolas devem reabrir na Itália ainda neste mês de setembro. Há temor das autoridades que abrir demais o país para todos os tipos de eventos e aglomerações leve a uma segunda onda de infecções pela COVID-19. A Serie A está programada para iniciar no dia 19 de setembro.