Xabi Alonso está prestes a começar de vez a sua carreira de treinador. Teve uma breve experiência com a garotada do Real Madrid, mas, neste fim de semana, estará no banco de reservas o segundo time da Real Sociedad para o começo da disputa da terceira divisão, contra o Burgos. Iniciará a nova etapa onde iniciou a de jogador, tentando colocar em prática toda a experiência que adquiriu com os seus renomados e antigos chefes.

Alonso foi privilegiado de ter sido treinado por Rafa Benítez, José Mourinho Pep Guardiola, Vicente Del Bosque e Carlo Ancelotti e, enquanto confirma que aprendeu muito com todos, também tem consciência de que precisa desenvolver sua própria personalidade. “Não é copiar e colar, esta função de treinador. Você precisa construir suas próprias ideias e acreditar nelas para conseguir transmiti-las e é isso que estou tentando fazer”, disse, em entrevista à BBC.

“Claro que aprendi muito com todos eles. Tive sorte de ter experiência em granes clubes, com grandes jogadores, grandes companheiros e grandes treinadores. Sempre tentei ficar próximo deles, entender como e por que tomam suas decisões. De vez em quando, eu ligo para eles. Tento me manter em contato com alguns deles com os quais tenho boa relação. Isso é uma das coisas boas de passar 18 anos jogando futebol. Tive sorte de ter contato com John Toshack, José Mourinho, Pep Guardiola e Vicente Del Bosque”, acrescentou.

Alonso com Carlo Ancelotti, na época de Bayern de Munique (Foto: Getty Images)

Alonso destacou particularmente Guardiola, pela maneira como o atual treinador do Manchester City entende o jogo e pela paixão com a qual consegue transmitir seus pensamentos. “Pep é tão especial. Ele lê o futebol e o micro-futebol, as coisas pequenas – por que as coisas acontecem e o que o time precisa fazer para controlar e criar perigo. Seu time tem sido tão estável e capaz de controlar todos os jogos, e fazer isso na Premier League é realmente difícil. Parte disso é seu conhecimento do jogo e sua paixão. Ele sempre tenta encorajar o time e transmitir essa paixão. Todo esse conhecimento, sem coração e sem paixão, não é possível. Essa mistura é o que o torna tão brilhante”, disse.

Ainda é muito cedo para Xabi Alonso ter uma ideia de jogo bem definida, mas partirá do que mais o agradava na época de jogador. “Eu era um meio-campista. Eu gostava de controlar o jogo, de entender o jogo e é isso que estou tentando fazer. Eu dependo dos jogadores, mas estou tentando encorajá-los a entender o jogo e ler o que está acontecendo. Esse é meu trabalho. O tempo dirá o que acontecerá com minha carreira de técnico. Ainda estou aproveitando estar de volta para casa, estar aqui, quero me concentrar apenas aqui no momento”, afirmou.

De volta para casa  

Xabi Alonso marcando Davids pela Real Sociedad (Foto: Getty Images)

Para Xabi Alonso, está sendo especial começar a nova carreira de treinador em San Sebastián. “São minhas raízes. Eu nasci há 15 minutos daqui. Eu vivi nas redondezas, então toda minha infância foi ao redor da Real Sociedad. Meu pai era um jogador, depois foi treinador, então eu sempre tive uma ligação muito forte com o clube. Eu costumava ir ao estádio, mas depois tive a sorte de jogar pelo time principal e isso foi um sonho se tornando realidade naquele momento. Estar de volta aqui após tantos anos, quase 15 anos, tantas memórias voltando. É fantástico estar de volta”, disse.

Xabi Alonso quase conseguiu um incrível feito em seus tempos de jogador pela Real Sociedad. Em 2002/03, o time basco ficou a apenas dois pontos do campeão Real Madrid. “Eu estive aqui quatro anos e conseguimos lutar pelo título com este clube. Foi quase como vencer a Copa do Mundo ou a Champions League com um clube maior. Foi uma temporada incrível. Conseguimos lutar até o fim. A atmosfera naquele ano na cidade e na região foi inacreditável. Nós o tocamos, mas não o agarramos forte o suficiente para ficar com ele”, explicou.

“Sempre tive em mente voltar. Eu não sabia se seria como jogador ou como treinador, mas eu queria voltar para San Sebastián para viver e ser parte deste clube. O clube está fazendo um grande trabalho com os times jovens e realmente apoia que os jovens jogadores se tornem profissionais e se juntem ao time principal. Ser parte desse processo foi um grande desafio, uma grande parte da formação como um treinador, completou.

Liverpool

Xabi Alonso atuando pelas lendas do Liverpool ano passado (Foto: Getty Images)

Além da Real Sociedad, Xabi Alonso também tem fortes ligações com o Liverpool, pelo qual conquistou a Champions League pela primeira vez, e é inevitável questionar se um dia tentará treinar o clube inglês. “Bom, no momento, eles têm um treinador absolutamente fantástico e todos nós torcedores do Liverpool estamos felizes com o que Jürgen (Klopp) está fazendo. Você podia sentir que ele era o cara certo pela maneira como abraçou a cultura do Liverpool, a maneira como se conectou com os torcedores. Dava para ver que ele faria um grande trabalho. Ele cumpriu mesmo as maiores expectativas. Ele é o cara no momento”, disse.

Alonso estava em Madri ao lado de antigos companheiros para presenciar a conquista do Liverpool sobre o Tottenham, na última Champions. “Ver o time levantar o troféu da Champions League e ver os torcedores aproveitando o momento tanto quanto em 2005, me trouxe muitas memórias. Antigos companheiros se reunindo, Stevie (Gerrard), Jerzy (Dudek), Sami (Hyppia), estávamos juntos comemorando. Foi realmente emocionante. Você sabe o quão especial é o Liverpool, uma vez vermelho, sempre vermelho. Isso não é um slogan. É real. E compartilhamos esse senso de pertencimento”, disse.