Um dos duelos muito interessantes da final do Mundial de Clubes, no próximo sábado, estará no banco de reservas. De um lado, Jürgen Klopp, hoje em dia indiscutivelmente um dos melhores técnicos do mundo. Do outro, Jorge Jesus, responsável por um terremoto no futebol brasileiro com os títulos da Libertadores e do Campeonato Brasileiro no mesmo fim de semana.

Quando treinou Sporting e Benfica, os times de Jesus participaram com frequência de competições europeias, e nelas, o português nunca enfrentou Klopp, mas travou interessantes duelos contra outros treinadores da elite do futebol europeu – com uma exceção: pouco antes de o compatriota assumir o Chelsea, o Vitória de Guimarães de Jesus jogou contra o Porto de José Mourinho, pelo Campeonato Português.

Além de Mourinho, fizemos um recorte com outros seis treinadores: Alex Ferguson, Antonio Conte, Massimiliano Allegri, Diego Simeone, Zinedine Zidane e Rafa Benítez, cuja presença nesse grupo pode ser polêmica para alguns, mas, na época em que primeiro enfrentou Jesus, ainda estava no Liverpool, com o qual chegou a duas finais de Champions, ganhando uma, e mantinha um alto prestígio. E o segundo encontro, como interino do Chelsea, foi na decisão da Liga Europa.

Jesus fez 14 partidas contra esses adversários e não tem um grande retrospecto: três vitórias, quatro empates e sete derrotas. Vale pontuar que tanto no Benfica quanto no Sporting esteve à frente de clubes com poder financeiro inferior ao dos adversários e, mesmo assim, saiu vencedor de alguns duelos. Eliminou a Juventus de Conte da Liga Europa de 2013/14 e ficou à frente do Manchester United de Alex Ferguson, na fase de grupos da Champions League de 2011/12.

A seguir, veremos como foram esses confrontos, pesquisados via Transfermarkt. As estatísticas são do site da Uefa.

versus José Mourinho – 1 jogo, 1 derrota

A notícia anunciava, em dezembro de 2003: “Jorge Jesus é o novo treinador do Vitória de Guimarães. O técnico rende Augusto Inácio, afastado na noite de domingo do comando técnico do clube”. Jesus tinha 49 anos e vinha de trabalhos no Estrela da Amadora e no Vitória Setúbal. Precisava afastar o Vitória de Guimarães da zona de rebaixamento, o que acabou fazendo por dois pontos, e, em fevereiro, enfrentou o Porto de José Mourinho. Não era uma briga muito justa. Os Dragões caminhavam para ganhar a Champions League e o Campeonato Português na mesma temporada, antes de Mourinho se juntar ao Chelsea e dar início à sua carreira entre os maiores clubes do continente. Maciel fez 1 a 0 para os donos da casa, Edgaras Jankauskas ampliou, antes do intervalo, e Benni McCarthy fechou o placar no segundo tempo: 3 a 0.

versus Alex Ferguson – 2 jogos, 2 empates

Ao fim da sua lendária passagem pelo Manchester United, Alex Ferguson estava tão confiante de que passaria pela fase de grupos da Champions de qualquer maneira que frequentemente usava equipes alternativas. Na temporada 2011/12, não deu certo. Em um grupo razoável, com Benfica, Basel e Cluj, ficou apenas em terceiro lugar, graças a uma derrota para os suíços, na última rodada. Jesus estava no comando dos Encarnados, que lideraram aquela chave. Os dois confrontos contra Ferguson terminaram empatados. Na primeira rodada, o estádio da Luz viu Óscar Cardozo abrir o placar com um golaço. Gaitán lançou da lateral esquerda com um toque de Trivela, o paraguaio matou no peito, limpou a marcação de Evans com a perna esquerda e bateu cruzado com a direita. Giggs empatou com uma pancada de fora da área. Em Old Trafford, foi mais movimentado. Phil Jones fez 1 a 0 para o Benfica, aos três minutos, com um gol contra. Berbatov empatou de cabeça e Fletcher virou. Logo em seguida, porém, o jovem De Gea saiu jogando mal e Aimar fez 2 a 2.

Primeiro jogo: Benfica 1 x 1 Manchester United

Data: 14/09/2011
Finalizações: 15 x 5
Finalizações certas: 7 x 2
Escanteios: 9 x 5
Posse de bola: 39% x 61%
Passes completados: 285 x 492
Faltas: 13 x 8

Escalação: Artur; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Emerson; Javi García, Rúben Amorim (Nolito) e Witsel; Pablo Aimar (Nemanja Matic), Nico Gaitán (Bruno César) e Óscar Cardozo

Segundo jogo: Manchester United 2 x 2 Benfica

Data: 22/11/2011
Finalizações: 15 x 10
Finalizações certas: 7 x 4
Escanteios: 6 x 2
Posse de bola: 62% x 38%
Passes completados: 507 x 221
Faltas: 13 x 18

Escalação: Artur; Maxi Pereira, Luisão (Miguel Vítor), Garay e Emerson; Javi García, Witsel e Bruno César; Aimar (Rúben Amorim), Gaitán (Nemanja Matic) e Rodrigo.

versus Antonio Conte – 2 jogos, 1 vitória, 1 empate

Jorge Jesus teve boas campanhas na Liga Europa, mas parou muitas vezes na fase de grupos da Champions League. A temporada 2013/14 foi uma em que as duas coisas aconteceram. O Benfica ficou atrás do Olympiacos por causa do confronto direto e caiu para o mata-mata da competição secundária da Europa. Despachou Paok, Tottenham e AZ Alkmaar, sem muita cerimônia, antes de se encontrar com a Juventus, na semifinal. Era o último ano de Antonio Conte em Turim. Apesar de tricampeão italiano, ter ficado em terceiro lugar atrás do Galatasaray na Champions alimentou os críticos do seu trabalho. E justamente por isso, a Velha Senhora estava na Liga Europa. Em cobrança de escanteio, Garay abriu o placar de cabeça, logo aos três minutos do jogo de ida na Luz. Tevez entrou driblando na área para empatar, já na metade do segundo tempo. Antes do fim, o atacante brasileiro Lima chegou batendo da entrada da área para dar aos portugueses uma essencial vitória. Porque no jogo de volta na Itália, o zero não saiu do placar, apesar da pressão italiana. Teve bola cortada em cima da linha, defesas de um jovem Oblak e gol anulado. Nem Enzo Pérez expulso aos 23 minutos do segundo tempo ajudou a Juventus, e o Benfica chegou à sua segunda final de Liga Europa consecutiva.

Primeiro jogo: Benfica 2 x 1 Juventus

Data: 24/04/2014
Finalizações: 8 x 9
Finalizações certas: 2 x 5
Escanteios: 3 x 6
Posse de bola: 43% x 57%
Passes completados: 307 x 457
Faltas: 17 x 12

Escalação: Artur; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Guilherme Siqueira; Enzo Pérez, Lazar Markovic e André Gomes (Ivan Cavaleiro); Rodrigo, Sulejmani (André Almeida) e Óscar Cardozo (Lima)

Segundo jogo: Juventus 0 x 0 Benfica

Data: 01/05/2014
Finalizações: 19 x 4
Finalizações certas: 7 x 1
Escanteios: 9 x 2
Posse de bola: 63% x 37%
Passes completados: 469 x 237
Faltas: 17 x 16

Escalação: Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Siqueira; Rúben Amorim, Enzo Pérez e Gaitán (Salvio); Markovic (Sulejmani), Rodrigo (André Almeida) e Lima

versus Zinedine Zidane – 2 jogos, 2 derrotas

Foi um grupo bem chatinho para o Sporting, que chegou a perder até do Légia Varsóvia e nem chegou à Liga Europa. Foi derrotado duas vezes pelo Borussia Dortmund de Thomas Tuchel e enfrentou também o Real Madrid de Zinedine Zidane, em meio a três títulos europeus em sequência. O primeiro duelo, no Santiago Bernabéu, foi bem difícil para os espanhóis. Bruno César pegou uma sobra da entrada da área e abriu o placar para os visitantes. Cristiano Ronaldo acertou a trave e apenas aos 44 minutos do segundo tempo marcou o gol de empate, em cobrança de falta, e se recusou a comemorar contra o clube que o revelou. Álvaro Morata arrancou a vitória, aos 49. Em Alvalade, os espanhóis também tiveram que suar. Varane fez 1 a 0, ainda na etapa inicial, e houve chances de empatar antes do intervalo. No segundo tempo, João Pereira foi expulso com cartão vermelho direto, mas logo na sequência, Adrien empatou de pênalti, após toque de mão de Coentrão. O Real Madrid precisou de um gol de cabeça de Benzema, aos 42 minutos, para sair com a vitória.

Primeiro jogo: Real Madrid 2 x 1 Sporting

Data: 14/09/2016
Finalizações: 15 x 9
Finalizações certas: 5 x 4
Escanteios: 5 x 2
Posse de bola: 59% x 41%
Passes completados: 563 x 351
Faltas: 9 x 14

Escalação: Rui Patrício; João Pereira, Rúben Semedo, Coates e Zeegelaar; William Carvalho, Adrien Silva (Elias), Gelson Martins (Markovic) e Bruno César; Bryan Ruiz (Campbell) e Bas Dost

Segundo jogo: Sporting 1 x 2 Real Madrid

Data: 22/11/2016
Finalizações: 10 x 11
Finalizações certas: 2 x 2
Escanteios: 2 x 8
Posse de bola: 42% x 58%
Passes completados: 387 x 587
Faltas: 16 x 9

Escalação: Rui Patrício; João Pereira, Coates, Rúben Semedo e Zeegelaar; William Carvalho, Adrien Silva, Gelson Martins e Bryan Ruiz (Schelotto); Bruno César (Campbell) e Bas Dost (André)

versus Massimiliano Allegri – 2 jogos, 1 empate, 1 derrota 

O Sporting participou da fase de grupos da Champions League na temporada 2017/18. E não deu muita sorte de novo. Enfrentou o Barcelona de Ernesto Valverde, com duas derrotas, e a Juventus de Massimiliano Allegri. Em Turim, Alex Sandro falhou duas vezes. Errou o corte e permitiu que Gelson Martins saísse cara a cara com Buffon. O goleiro fez a defesa, mas o rebote bateu no lateral esquerdo brasileiro e colocou os Leões em vantagem no placar. Pjanic foi o responsável pelo empate, com uma bonita cobrança de falta, aos 29 do primeiro tempo, e Mandzukic virou, a um minuto do fim de um jogo que a Velha Senhora dominou amplamente. Em Alvalade, o Sporting novamente saiu à frente, quando Bruno César pegou o rebote de um chute de Gelson Martins. Higuaín deu um toquinho por cima de Rui Patrício para empatar. O time português terminou a chave com sete pontos, a quatro da Velha Senhora.

Primeiro jogo: Juventus 2 x 1 Sporting

Data: 18/10/2017
Finalizações: 17 x 5
Finalizações certas: 8 x 1
Escanteios: 13 x 0
Posse de bola: 52% x 48%
Passes completados: 389 x 309
Faltas: 18 x 17

Escalação: Rui Patrício; Piccini, Coates, Mathieu e Coentrão (Silva); William Carvalho, Battaglia (Doumbia), Gelson Martins (João Palhinha), Bruno Fernandes e Acuña; Bas Dost

Segundo jogo: Sporting 1 x 1 Juventus 

Data: 31/10/2017
Finalizações: 8 x 17
Finalizações certas: 2 x 5
Escanteios: 3 x 7
Posse de bola: 38% x 62%
Passes completados: 255 x 622
Faltas: 16 x 8

Escalação: Rui Patrício; André Pinto, Coates, Ristovski (Petrovic) e Jonathan Silva; Gelson Martins, Battaglia, Bruno César (João Palhinha) e Acuña; Bruno Fernandes e Bas Dost (Doumbia)

versus Diego Simeone – 2 jogos, 1 vitória, 1 derrota

A crise que precipitou a saída de Jesus do Sporting estava prestes a eclodir. O treinador português fazia mais uma bela campanha na Liga Europa, chegando às quartas de final após passar por Astana e Viktoria Plzen, mas aquele primeiro jogo no Wanda Metropolitana seria uma das faíscas. Antes do primeiro minuto, o zagueiro Coates atravessou uma bola na entrada da área, Diego Costa interceptou e tocou para Koke fazer 1 a 0. O segundo gol colchonero também saiu da falha de um defensor. Mathieu deixou a bola passar e permitiu que Griezmann ampliasse. No intervalo entre os dois jogos, o presidente Bruno de Carvalho chegou a suspender 19 jogadores por meio das redes sociais, mas os Leões foram valorosos na partida de volta. Fizeram 1 a 0, com Fredy Montero, aos 28 minutos do primeiro tempo, e exigiram seis intervenções de Oblak, algumas sensacionais. Faltou um golzinho para forçar a prorrogação, embora Griezmann também tenha desperdiçado duas chances claras, uma que parou em Rui Patrício e outra que foi para fora.

Primeiro jogo: Atlético de Madrid 2 x 0 Sporting

Data: 05/04/2018
Finalizações: 13 x 10
Finalizações certas: 6 x 3
Escanteios: 8 x 3
Posse de bola: 45% x 55%
Passes completados: 338 x 483
Faltas: 15 x 11

Escalação: Rui Patrício; Piccini, Coates, Mathieu e Coentrão (Rúben Ribeiro); William Carvalho (Acuña), Battaglia, Gelson Martins, Bruno Fernandes (Montero) e Bryan Ruiz; Bas Dost

Segundo jogo: Sporting 1 x 0 Atlético de Madrid

Data: 12/04/2018
Finalizações: 18 x 9
Finalizações certas: 7 x 2
Escanteios: 10 x 2
Posse de bola: 56% x 44%
Passes completados: 390 x 291
Faltas: 16 x 11

Escalação: Rui Patrício; Ristovski (Doumbia), Coates, André Pinto, Mathieu (Petrovic) e Acuña; Gelson Martins, Bruno Fernandes, Battaglia e Bryan Ruiz (Rúben Ribeiro); Fredy Montero

versus Rafa Benítez – 3 jogos, 1 vitória, 2 derrotas

Jorge Jesus já enfrentou o Liverpool, mas em um contexto bem diferente. Era sua primeira temporada no Benfica, e os Reds, comandados por Rafa Benítez, estavam prestes a entrar na decadência que os tiraria da Champions League nas próximas quatro temporadas. Tanto que ficaram atrás da Fiorentina e do Lyon na fase de grupos e caíram para a Liga Europa. O encontro com Jesus foi nas quartas de final. Daniel Agger foi muito esperto pra completar a cobrança de falta rasteira de Gerrard de letra e abrir o placar na Luz. No entanto, Ryan Babel foi expulso, por volta da meia hora, e o Benfica conseguiu virar, com dois pênaltis convertidos por Óscar Cardozo. Em Anfield, não deu jogo. Kuyt fez 1 a 0 de cabeça, e Lucas Leiva até driblou o goleiro para marcar um raro gol e ampliar. Fernando Torres fez 3 a 0, e Cardozo descontou de falta. Torres fechou o caixão com uma cavadinha.

O reencontro entre Jesus e Benítez seria três anos depois. O Chelsea vinha do título da Champions League com Roberto di Matteo, mas cairia na fase de grupos da edição seguinte. O treinador italiano foi substituído pelo espanhol, que terminaria a temporada como interino. O Benfica também ficou em terceiro na sua chave, atrás de Celtic e Barcelona, e passou à Liga Europa. No mata-mata, superou Bayer Leverkusen, Bordeaux, Newcastle e Fenerbahçe antes de chegar à decisão em Amsterdã. A final teve contornos épicos. Placar zerado no primeiro tempo, com o Benfica perdendo as primeiras chances boas e Artur fazendo grande defesa em um petardo de Lampard. No segundo tempo, os Encarnados tiveram um gol anulado por impedimento e, logo depois, viram Fernando Torres driblar o goleiro para fazer 1 a 0. Mas Azpilicueta deu um soco na bola, e Cardozo empatou de pênalti. Aos 48 da etapa final, quando a prorrogação parecia inevitável. Brasnilav Ivanovic subiu muito alto e marcou, de cabeça, o gol do título do Chelsea.

Primeiro jogo: Benfica 2 x 1 Liverpool

Data: 01/04/2010
Finalizações: 16 x 5
Escanteios: 6 x 4
Faltas: 19 x 12

Escalação: Júlio César; Maxi Pereira (Nuno Gomes), David Luiz, Luisão e Fábio Coentrão; Javi García, Ramires, Carlos Martins (Rúben Amorim) e Di María; Aimar (Airton) e Óscar Cardozo

Segundo jogo: Liverpool 4 x 1 Benfica 

Data: 08/04/2010
Finalizações: 11 x 13
Escanteios: 5 x 12
Faltas: 10 x 13

Escalação: Júlio César (Moreira); Rúben Amorim, Luisão, Sidnei e David Luiz; Javi García, Carlos Martins (Alan Kardec), Ramires, Aimar (Fábio Coentrão) e Di María; Óscar Cardozo

Terceiro jogo: Benfica 1 x 2 Chelsea

Data: 15/05/2013
Finalizações: 17 x 11
Finalizações certas: 11 x 7
Escanteios: 4 x 4
Posse de bola: 53% x 47%
Passes completados: 343 x 243
Faltas: 18 x 18

Escalação: Artur; André Almeida, Luisão, Garay (Jardel) e Lorenzo Melgarejo (Ola John); Enzo Pérez, Nemanja Matic; Rodrigo (Lima), Nico Gaitán e Eduardo Salvio; Óscar Cardozo