O presidente do Sevilla, José María Del Nido, foi condenado por sete anos e meio de prisão. O dirigente se envolveu em um caso de desvio de dinheiro público entre 1999 e 2003, quando prestava serviços jurídicos na região de Marbela.

Conforme as investigações da justiça local, Del Nido faturou ilegalmente 6,73 milhões de euros. Ele havia sido contratado como assessor jurídico. Na sentença final, o dirigente foi classificado como “um instrumento a serviço da corrupção”.

Del Nido assumiu seu mandado como presidente do Sevilla em 2002 e, desde então, conquistou duas vezes a Copa da Uefa e uma vez a Supercopa da Espanha. Nos últimos meses, o presidente dos rojiblancos havia se lançado como principal opositor às altas cotas de televisão destinada a Barcelona e Real Madrid no país.

O Sevilla ainda não se manifestou oficialmente sobre a condenação de Del Nido e nem se posicionou se ele será substituído no cargo.