Depois de o primeiro-ministro da França, Édouard Philippe, anunciar que competições esportivas não aconteceriam no país antes de setembro, declarando então encerrada a temporada 2019/20 da Ligue 1, a reação de maior parte das figuras do futebol francês foi exaltar a decisão entendida como sensata. Entretanto, Jean-Michel Aulas, presidente do Lyon, sétimo colocado do Francesão, foi por outra via, entendeu que ainda há uma maneira de colocar sua equipe na Champions League e propôs playoffs para definir os classificados às competições europeias – assim como para se chegar aos rebaixados.

Referindo-se a comunicados anteriores da Uefa, Aulas defendeu a necessidade de se tentar terminar a temporada em campo. Para ele não deve haver pressa na decisão. Em sua leitura, as regras de desconfinamento anunciadas por Édouard Philippe possibilitam o encerramento da Ligue 1 no gramado.

“Eu não tenho obrigatoriamente a mesma leitura que a que ouvi de certos colegas meus, em particular aqueles que estão no segundo e no terceiro lugares do campeonato. Eu entendi que o cenário que tínhamos imaginado na liga, que consistia em voltar os treinamentos em 11 de maio e recomeçar a jogar talvez em 15 de junho, terminando a competição nacional em 3 de agosto, não era possível, que este cenário foi rejeitado pelo primeiro-ministro. Depois, ouvi dizer que todo mundo considera a temporada terminada. Lamento isso.”

Aulas propôs então que a Ligue 1 promova playoffs de definição dos classificados às competições europeias e dos rebaixados. “Li atentamente o que a Uefa disse, que ela desejava que fossemos até o final das competições, mesmo se precisássemos jogar talvez em um formato reduzido, mas no mês de agosto. Então, penso que existe uma via alternativa, que consistiria em substituir este final de campeonato por uma série de playoffs para a parte de cima e também a de baixo da tabela, que aconteceriam em agosto, talvez mesmo em julho, com portões fechados”, argumentou.

Noël Le Graët, presidente da Federação Francesa, é um dos nomes fortes que estão do outro lado da discussão. Para o dirigente, o pronunciamento de Édouard Philippe foi claro. Ao L’Équipe, Le Graët disse: “Está acabado para a Ligue 1 e a Ligue 2. (…) A decisão de parar de jogar é correta”.

Nada está definido quanto à classificação, e faz sentido que o presidente do Lyon tente encontrar uma maneira de manter vivas as esperanças de seu clube de se classificar à Champions League ou mesmo à Liga Europa, em um momento em que a receita de direitos de transmissão será talvez mais importante do que nunca, em meio à crise financeira provocada pela paralisação do futebol devido ao Coronavírus.

A classificação atual traz o PSG disparado na liderança, com 68 pontos. O Olympique de Marseille é o segundo colocado, com 56, enquanto o Rennes aparece em terceiro lugar, com 50, fechando a relação de classificados à Champions League. O quarto colocado Lille tem 49 pontos e iria à Europa League. O Lyon está apenas na sétima colocação, com 40 pontos.

Segundo a imprensa francesa, uma reunião na metade de maio deverá definir como ficará a classificação. Nos Países Baixos, a título de comparação, como Ajax e AZ Alkmaar tinham pontuação igual, nenhum campeão foi definido. Entretanto, a classificação de momento valeu para determinar as vagas europeias, enquanto nenhuma equipe foi rebaixada ou promovida.