Presidente do Lyon estipula prazo para transferências: “A partir de sexta, quem não tiver saído não sai mais”

A janela de transferências do Lyon tem sido bastante agitada, mas isso em questão de rumores. Os negócios concretos, em si, não foram tão numerosos, e muita incerteza ronda o clube a apenas seis dias do fechamento do mercado europeu. Acreditando ser essa a razão por trás do início ruim da equipe na temporada, Jean-Michel Aulas, presidente do OL, estipulou uma data limite para que jogadores do atual elenco sejam negociados: esta sexta-feira (2).

[foo_related_posts]

Em entrevista à emissora Téléfoot na noite de segunda-feira (28), Aulas falou de maneira aparentemente bem espontânea sobre sua posição, indicando que conversaria sobre o assunto com Rudi Garcia e Juninho Pernambucano apenas nesta terça-feira (29).

“Acho que vamos dizer aos jogadores que, para qualquer coisa que não esteja resolvida até sexta-feira em termos de partidas, não haverá mais saídas”, comentou.

“Para nós, o fim do mercado será na sexta-feira. Estou pensando em propor isso amanhã (terça-feira) ao Rudi (Garcia, técnico) e ao Juni (Juninho, diretor de futebol). Percebemos que há algo errado (na equipe). Pode ser isso (incerteza sobre o futuro) e muitas outras coisas. A partir de sexta-feira, os jogadores que não tiverem saído não sairão mais”, completou.

A eliminação na semifinal da Champions League passada para o Bayern de Munique confirmou que, em 2020/21, o Lyon estaria de fora de competições europeias pela primeira vez desde 1996/97. Esta situação, combinada com a sensação de fim de ciclo para diversos atletas, criou uma aura de quase certeza de que alguns deles deixariam o clube.

Houssem Aouar e Memphis Depay, principais destaques técnicos do OL, já movimentam rumores há meses, com o Arsenal e a Juventus de olho no primeiro, enquanto o Barça deseja levar o segundo. Até agora, no entanto, possivelmente por causa das restrições financeiras consequentes da pandemia do Coronavírus, os clubes interessados têm dificuldades em levantar os fundos necessários para suas contratações. Jeff Reine-Adélaïde, meio-campista que chegou ao Lyon há apenas um ano, já expressou seu desejo de deixar o clube diante da falta de minutos em campo, mas, por ora, não parece próximo de acertar com outra equipe.

Embora essas circunstâncias tornem prováveis as saídas, Aulas garante que o Lyon não vive um momento em que precisa vender seus ativos para melhorar as contas, indicando que não seria um problema manter os jogadores.

“Às vezes leio em artigos que precisamos absolutamente vender, mas não. É por isso que é muito fácil para mim tomar a decisão de dizer que qualquer coisa que não seja feita até sexta-feira será adiada para o próximo ano. Por outro lado, é muito fácil decidir com um clube, um jogador, para ter um acordo para sair no próximo ano”, explicou. Existe, é claro, a possibilidade de que isso tudo seja apenas uma estratégia de negociação de Aulas para reforçar suas demandas aos clubes interessados em seus atletas.

“Em todo caso, tudo o que tem que ser feito para esta janela terá que ser terminado na sexta-feira, para que os jogadores que vão jogar contra o Marseille no domingo estejam completamente liberados”, encerrou.

Até agora, o Lyon já negociou diversos atletas que compunham o grupo no ano passado, como Bertrand Traoré (Aston Villa, € 18,4 milhões), Martin Terrier (Rennes, €12 milhões), Amine Gouiri (Nice, € 7 milhões), Kenny Tete (Fulham, € 3,2 milhões) e Marçal (Wolverhampton, € 2 milhões).

No caminho contrário, chegaram Cenk Özkacar (Altay, € 1,5 milhão) e Julian Pollersbeck (Hamburgo, € 250 mil), além de Kadewere, contratado no início do ano e que havia permanecido até o fim da temporada no Le Havre, e Karl Toko Ekambi, que chegou por empréstimo também no início de 2020 e efetivou sua permanência por € 11,5 milhões. Esquentam ainda os rumores de que Lucas Paquetá, do Milan, está a caminho do clube francês, o que reforçaria a possibilidade de uma venda de Aouar. Facundo Pellestri, do Peñarol, segundo o noticiário desta terça-feira (29), também estaria quase confirmado no OL.

Depois de vencer na estreia da Ligue 1, o Lyon não ganhou mais nas quatro partidas seguintes, acumulando três empates e uma derrota. Não dá para afirmar que o palpite de Aulas está mesmo correto, mas certamente um pouco de clareza sobre o futuro não fará mal à equipe.