Presidente da Serie A estima perdas de € 600 milhões este ano por causa da COVID-19

O presidente da Serie A, Paolo Dal Pino, estima que a liga italiana perderá € 600 milhões entre fevereiro e dezembro deste ano, período afetado pela pandemia de coronavírus, mas também vê a situação como uma oportunidade para mudar o seu modelo de negócios.

Dal Pino deu a declaração na conferência Global Boardroom do jornal Financial Times, reproduzida pelo Sport Mediaset. Apesar de ter considerado um “sucesso” reiniciar a temporada, em junho, calcula que haverá perdas de € 600 milhões, “€ 400 milhões em bilheteria e € 200 milhões em patrocinadores”.

No final de outubro, Dal Pino havia dito que o futebol italiano passava pelos anos “mais difíceis desde a guerra” e que corria o risco de um desastre econômico e financeiro. Havia escrito ao primeiro-ministro Giuseppe Conte e tinha três soluções.

“A primeira é indenização pelos danos sofridos pelo futebol devido às medidas restritivas impostas pelo governo. O segundo é o pedido aos ministros para trabalhar em conjunto. O terceiro é a atenção ao valor que o futebol possui e que a política nem imagina: na Itália, pela dimensão social que tem, no exterior, como veículo de comunicação”, disse.

No evento do Financial Times, afirmou que, embora seja difícil modernizar um negócio no atual contexto, a discussão sobre receber investimentos em um modelo de Private Equity (uma forma de investimento privado em empresas que tem rendimentos consistentes), já estava em andamento e está no estágio final de negociação.

“O objetivo é explorar as habilidades administrativas deles para criar valor à Serie A no longo prazo”, encerrou.

.