A temporada de Karim Benzema pelo Real Madrid foi tão positiva que ficou difícil de ignorá-lo. Ao ponto de Noël Le Graët, presidente da Federação Francesa e desafeto do atacante, elogiar o camisa 9 pela “melhor temporada de sua carreira”. A resposta de Benzema veio de acordo com sua personalidade desbocada: “Prefiro rir”.

Em entrevista à RMC Sport, Le Graët exaltou a fase de Benzema, colocando-o inclusive entre os melhores jogadores do mundo. “Ele teve uma temporada excepcional com o Real Madrid. Já parabenizei o Zidane, seu treinador. No momento, com a temporada que acaba de fazer, ele é um dos melhores jogadores do mundo. Se é o melhor? Não cabe a mim dizer, porque não vi todos os jogos. Mas ele teve a melhor temporada de sua carreira, na minha opinião.”

Compartilhando a notícia com a fala do presidente da Federação Francesa, Benzema deu a réplica: “Prefiro rir”, acompanhada de emoticons chorando de rir, apontando a ironia clara do elogio.

A relação de Benzema com Le Graët começou a azedar no fim de 2015. Então companheiro de seleção de Mathieu Valbuena, Benzema se viu no meio de um caso de extorsão. Um amigo de infância do atacante tinha em mãos uma sex tape em que Valbuena aparecia e estava tentando obter dinheiro do jogador para não divulgar o material. Benzema então teria agido como uma espécie de intermediário entre os dois na negociação.

A seleção francesa vivia o momento de preparação para a Eurocopa que disputaria em casa, no ano seguinte, e Benzema e Valbuena deixaram de ser convocados. A dupla então nunca mais voltou a defender a camisa dos Bleus. O último jogo dos dois pela seleção aconteceu em outubro de 2015.

Desde então, a carreira de Valbuena teve um declínio. Do Lyon, que defendia à época, foi jogar no Fenerbahçe e, desde 2019, defende as cores do Olympiacos. Benzema, por sua vez, teve repetidas temporadas de futebol suficientemente bom para voltar, mas nunca mais foi chamado por Didier Deschamps.

Em novembro de 2019, Le Graët deu uma entrevista fechando as portas da seleção para Benzema. “Ele é um grande jogador, como tem mostrado no Real Madrid. Mas sua aventura com a seleção francesa acabou”, disse o dirigente. A resposta de Benzema foi imediata: “Noël, eu achava que você não interferia nas decisões do treinador”.

O cutucão era uma referência à narrativa que a Federação Francesa sempre tentou emplacar de que os dirigentes, especialmente Le Graët, não se envolviam nas convocações de Deschamps.

“Saiba que cabe apenas a mim dar um fim à minha carreira internacional! Se você acha que estou acabado, deixe-me jogar por um dos países para os quais sou elegível, e a gente verá”, completou Benzema, em referência à sua nacionalidade argelina, embora as regras da Fifa não permitam que um jogador que já atuou em competições oficiais por uma seleção defenda outra.

Benzema realizou 81 partidas com a camisa da seleção francesa, marcando 27 gols. Em 2019/20, como apontou Le Graët, o atacante vive excelente temporada, sendo visto por muitos como o grande expoente do Real Madrid campeão de La Liga.

A cada vez que a fase de Benzema é boa, a discussão sobre uma possível convocação por Deschamps volta. Entretanto, este cenário nunca pareceu perto de se concretizar. Como o caso da sex tape de Valbuena ainda está em andamento, com a promotoria de Versalhes pedindo no início deste mês que Benzema fosse processado por “cumplicidade em tentativa de chantagem”, dificilmente teremos um desfecho positivo para a situação, pelo menos tão cedo.