O cartão vermelho recebido por Son Heung-min no último domingo, após a entrada que provocou uma fratura em André Gomes durante o Everton 1×1 Tottenham, foi anulado pela Premier League. Os Spurs haviam recorrido à decisão do árbitro Martin Atkinson e uma comissão independente concordou que a expulsão não foi correta. O árbitro chegou a pegar o cartão amarelo para mostrar ao sul-coreano, mas, diante da gravidade da situação, optou por aplicar o vermelho.

No domingo, a Premier League publicara um comunicado dizendo que o vermelho a Son havia sido mostrado por “colocar em risco a segurança de um atleta”. Todavia, a comissão independente avaliou que a entrada não teria sido dura o suficiente para render a expulsão direta. Son e André Gomes haviam se estranhado em outros momentos do jogo, com uma cotovelada do português sobre o sul-coreano. O carrinho foi visto por muitos como um revide, embora membros de ambas as equipes defendam Son, apontando que sua imprudência no lance não tinha qualquer maldade.

Após a partida, Pochettino afirmou que o cartão vermelho deveria ter sido revisto pelo próprio VAR. Já nesta terça-feira, a comissão independente deu razão ao Tottenham, que entrou com um apelo sobre a expulsão. Son estará disponível para os próximos três jogos dos Spurs nas competições domésticas, evitando a suspensão automática pelo vermelho direto. Em algumas ligas, faltas que geram lesões sérias podem render suspensões equivalentes ao tempo de recuperação dos atletas.

Sobre André Gomes, as notícias são positivas. O português recebeu alta do hospital nesta terça-feira, após operar o seu tornozelo direito. Na segunda, os Toffees já tinham garantido que a cirurgia do meio-campista havia sido “extremamente bem-sucedida”. Apesar dos temores quanto às consequências da contusão, o clube afirmou que a expectativa é de “uma recuperação completa”. Nos próximos dias, André deverá iniciar sua reabilitação com os próprios médicos do Everton. A agremiação ainda agradeceu o apoio oferecido ao jogador.

Após o episódio ocorrido aos 34 do segundo tempo, o Everton ainda buscaria o empate por 1 a 1 nos acréscimos. Conforme Mason Holgate, a lesão de André Gomes motivou mais a equipe em sua reação: “É difícil quando algo assim acontece, mas nós demonstramos nosso espírito de luta e buscamos o resultado. Isso mostra o que somos como equipe. Nós nos unimos e acho que isso nos conduziu um pouco mais no final do jogo, porque tentávamos por ele. Era um clima muito ruim nos vestiários, como se tivéssemos sido derrotados. Ele é amigo de todos e nosso colega de equipe, então desejávamos o melhor para ele”.

Já depois do jogo, Seamus Coleman teve um gesto de classe ao visitar Son nos vestiários do Tottenham. O capitão do Everton conversou com o sul-coreano e tentou consolá-lo, após o choque sofrido com a contusão que ele provocou em André Gomes. “Quero agradecer a Coleman, que veio aos vestiários e estava muito calmo. Ele veio em nome dos jogadores e consolou Sonny. Agora ele está bem. Obviamente, sentiu muito por André, mas esse é o futebol. Não era intenção de Son fazer isso”, declarou Pochettino. Comandante dos Toffees, Marco Silva também disse não acreditar na má intenção do camisa 7.