Embora tenha atraído elogios em outras partes do mundo por sua velocidade e relativa transparência, o VAR da Premier League não está agradando internamente, e a liga se compromete a melhorá-lo. Após reunião nesta quinta-feira (14), em Londres, acionistas da Premier League concordaram que ajustes devem ser feitos ao sistema. Nas últimas semanas, as maiores críticas se concentram à falta de consulta dos árbitros de campo aos monitores na lateral, acatando apenas as orientações do árbitro de vídeo.

Representantes dos 20 clubes da Premier League se reuniram, com a presença do chefe da arbitragem inglesa, Mike Riley, que concordou com a avaliação de que melhorias eram necessárias.

Em comunicado, a Premier League afirma que o Professional Game Match Officials Limited (PGMOL), órgão responsável pela arbitragem na primeira divisão inglesa, está comprometido em melhorar a consistência das decisões, acelerar seus processos e aumentar a comunicação com os torcedores.

Em parte, a expectativa é de que, com o passar do tempo, os árbitros se acostumem cada vez mais à tecnologia, aumentando, então, sua eficácia e velocidade. Ainda assim, medidas objetivas foram apresentadas.

Já em dezembro, mais informações serão mostradas nos telões dos estádios durante a checagem. Uma verificação de pênalti, por exemplo, não dirá apenas “Checando pênalti”, mas, sim, “Checando pênalti – possível toque de mão”.

Ainda que o objetivo seja manter a moderação ao consultar os monitores na beira do campo, os árbitros estão instruídos a ir mais frequentemente ao local para ajuda visual. Ainda assim, continuarão sendo usados apenas para incidentes não vistos pelo árbitro do jogo ou quando as informações do VAR não corresponderem às expectativas do árbitro.

Apesar do reconhecimento sobre as melhorias a se fazer, a liga ainda assim destacou que o VAR melhorou a precisão da arbitragem nos lances-chave de jogo, com um acerto de 91% em comparação com os 82% da temporada passada, sem o VAR.

Em seu comunicado, a Premier League reitera que os princípios do seu uso do VAR são interferência mínima, preservação do ritmo acelerado da liga e a correção de erros claros e óbvios.

A entidade vai além e diz que conduzirá pesquisas com torcedores e mais acionistas para entender o que estes acreditam ser a melhor maneira de melhorar ainda mais a aplicação do VAR no Campeonato Inglês. A Premier League pode ter demorado a implementar o VAR, mas parece compromissada em exigir dele um alto nível e, mais importante, ouvir qual a resposta do público à sua atuação.